A startup DeÔnibus chamou a atenção do GVAngels por ser uma plataforma de viagens rodoviárias sólida, com participação de mercado significativa nas vendas pela internet com mais de 3 milhões de passagens vendidas e com rápido crescimento no bootstrap ao longo dos anos.

Fundada em 2012 pelos empreendedores e irmãos Breno Moraes e Mariana Malveira, a empresa organizou uma rodada de investimentos, cujo valor final não foi divulgado, onde o grupo de investidores-anjo formado por ex-alunos da FGV participou com um aporte de R$ 1,5 milhão.

A DeÔnibus acredita que a penetração das vendas pela internet no setor rodoviário deve crescer exponencialmente com a transformação digital que a sociedade brasileira atravessa e com as mudanças regulatórias do setor. O aporte tem como objetivo apoiar a empresa na retomada do mercado rodoviário através de investimentos em equipe, inovação e vendas.

Jad Antoun, diretor do GVAngels que liderou o investimento na DeÔnibus, conheceu a startup em uma etapa recente de Fast Track promovida pelo grupo. “A startup tem um grande potencial por possuir parcerias sólidas com empresas do setor de transporte rodoviário. Acreditamos em seu potencial de crescimento, ainda mais agora que as compras on-line ganharam a confiança dos consumidores”, relata Antoun.

Oportunidade de mercado

Historicamente, o mercado rodoviário sempre teve um papel crucial na mobilidade dos brasileiros e ao longo dos últimos anos vem passando por transformações para se adaptar ao novo milênio e melhorar cada vez mais a experiência dos viajantes pelo país. 

O setor movimenta mais de R$16 bilhões em passagens interestaduais e possui uma alta concentração das vendas (+90%) em guichês rodoviários. As vendas pela internet ainda representam 10% das vendas totais, mas esse número vem crescendo acima de 30% ao ano e tende a crescer cada vez mais rápido com a transformação digital que o país vem passando e com as mudanças regulatórias no setor.

A abertura de mercado, aprovada via decreto presidencial em 2018, tem como objetivo desburocratizar o setor e melhorar o serviço para os viajantes. Além de facilitar a entrada de novas empresas e aumentar a competitividade do setor, o decreto possibilita que as empresas rodoviárias passem a ter liberdade para definir a grade horária de suas viagens e a estratégia de precificação, já se pode notar preços muito mais baixos em compras antecipadas pela internet.

Além disso, o setor já conta também com o bilhete digital onde mais de 80% das vendas pela internet já realizam o embarque do passageiro direto no ônibus e sem passar pelo guichê de vendas, uma experiência muito parecida com o mercado aéreo.

Investimento

Com o início da pandemia no Brasil a DeÔnibus teve que se adaptar para garantir a sobrevivência da empresa, a manutenção dos empregos e o foco na retomada de mercado. “Esse foi um ano que colocou a empresa a prova e parte do planejamento para atravessar a crise foi levantar uma ponte financeira com investidores anjos e privados para trazer uma maior previsibilidade de caixa para os próximos 18 meses e aumentar os investimentos em equipe, inovação e vendas. Ficamos muito felizes com o resultado da rodada de investimentos e com os novos investidores que estão entrando na empresa”, diz Breno Moraes, CEO da empresa.

A DeÔnibus conseguiu manter 100% dos empregos de seus colaboradores durante a crise e hoje se prepara para novas contratações com vagas abertas nas áreas de tecnologia, marketing e vendas, dados, pessoas e operações.