A próxima Black Friday acontece no dia 27 de novembro e promete bater recordes, passando dos R$ 3,2 bilhões vendidos, de acordo com estimativa da EbitNielsen. O grande crescimento da data se dá, principalmente, pela popularização do e-commerce durante a pandemia, em que lojas físicas estiveram fechadas e os varejistas precisaram se adaptar à nova realidade.

Entretanto, atrair o olhar do consumidor em uma das épocas mais disputadas do ano é um desafio e tanto para as marcas. Para apresentar dados sobre esse mercado e acabar com o “achismo” na hora de desenvolver ações de marketing, a VidMob, plataforma de inteligência criativa, lançou um estudo sobre os criativos de peças publicitárias para campanhas de final de ano, como Black Friday e Natal.

A empresa analisou um total de 8.366 anúncios em 35 marcas de varejo e e-commerce, que geraram mais de 28 mil tags de visão computacional e 1,67 bilhão de impressões combinadas. Os anúncios analisados foram veiculados entre o último trimestre de 2018 e o penúltimo de 2019.

A análise dos dados apontou que:

– Anúncios em vídeo geraram vendas mais altas do que anúncios estáticos: o vídeo gerou uma taxa de compra 48% maior em comparação a peças estáticas;

– A duração ideal do anúncio em vídeo foi de 10 a 15 segundos: o vídeo de 10 a 15 segundos gerou uma taxa de compra 148% maior em comparação aos anúncios com 5 segundos ou menos;

– Começar com texto foi melhor: Quando o texto estava presente nos primeiros 3 segundos de um anúncio, a conversão de compra foi 46% maior;

– A escolha das palavras importou especialmente com o “call to action”: usar “Comprar” como call-to-action teve uma taxa de compra 5 vezes maior do que “Obter” e “Encontrar”.

Diante disso, Camilo Barros, head de Parcerias LATAM da VidMob ressalta as mudanças no hábito de consumo do consumidor em relação às redes sociais. “Vimos recentemente a aposta das plataformas em formatos de vídeo como o Reels, o IGTV, os Stories, o Cenas, enfim, todos eles destacam a evolução do vídeo para um maior e melhor resultado. Isso já é dado histórico, e durante a pandemia esse consumo de video se acentuou ainda mais com o crescimento do uso das plataformas, sendo assim podemos apostar em uma Black Friday que consagrará os anúncios em movimento como a melhor estratégia”.

Sobre em qual plataforma apostar, ele destaca que para maior um engajamento, a marca deve estreitar a relação com seus consumidores nas diferentes plataformas que existem, identificando, no entanto, como ele se comporta em cada uma delas. O segredo para gerar essa intimidade na relação entre cliente e empresa está nos dados. “Transformar a sua gestão para data driven, orientada não somente por dados de consumo mas também por dados criativos, esse é o grande segredo das marcas vencedoras neste momento”, conclui.

Metodologia

As análises foram conduzidas usando a tecnologia de IA para criatividade da VidMob. A tecnologia da empresa aplica visão computacional, reconhecimento óptico de caracteres e Machine Learning para marcar praticamente todos os atributos visuais que um espectador encontra em um anúncio.

Esse conjunto de dados é então combinado com métricas de desempenho em tempo real e multiplataforma para gerar insights mais profundos sobre o impacto que os recursos visuais do criativo – como objetos, formas, palavras, sentimentos, cores, logotipos, duração de exibição, compras e outros ações do consumidor. Até o momento, a VidMob marcou mais de 1,3 bilhão de elementos visuais em anúncios que geraram mais de 1,9 trilhão de impressões.