PUBLIEDITORIALO Brain, centro de inovação e negócios digitais fundado pela Algar Telecom, está lançando por meio de sua filial de São Paulo mais uma edição do Brain Open. Desta vez, o objetivo é selecionar startups e empresas de qualquer região do Brasil com soluções customizáveis em inteligência de dados direcionadas para Internet das Coisas (IoT).

O desafio está sendo conduzido em conjunto com a Hards, primeira aceleradora de hardware + software do país com foco na evolução de startups no segmento da Indústria 4.0. A parceira será responsável pelo processo seletivo e pelo apoio no desenvolvimento dos Business Cases.

A proposta do programa é atrair startups e empresas de Hardware e/ou Software em fase de tração, capazes de gerar Business Cases com a Algar Telecom. Elas podem atuar com soluções em Analytics, Big Data, Inteligência Artificial e Automação que tenham a capacidade de estabelecer metas, adquirir, processar, transformar, armazenar e visualizar dados do mundo de IoT. Também é pré-requisito já possuir empresa constituída, produtos lançados no mercado e receita recorrente. Não serão aceitas empresas em early stage.

Ao final do processo, até cinco escolhidas trabalharão em conjunto com a companhia, buscando oportunidades a partir de grandes bases de dados. “Nosso interesse é encontrar muito mais do que um fornecedor, e sim um parceiro para o desenvolvimento de novos negócios e produtos em conjunto. Por isso, estamos atrás de startups e empresas com potencial de tratamento de dados em larga escala e interesse em ter seu negócio escalado por meio da parceria com uma sólida empresa de telecom, que dará acesso a uma ampla base de clientes B2B”, explica Zaima Milazzo, presidente do Brain.

Brain, centro de inovação e negócios digitais, em Uberlândia – MG.

Etapas do processo

Interessadas poderão se inscrever entre 8 de setembro e 4 de outubro, por meio de formulário online que pedirá dados gerais da empresa, breve descrição da solução e do time, pitch deck e um vídeo pitch. Depois dessa primeira etapa, ainda na primeira quinzena de outubro serão escolhidas 10 startups/empresas para imersão. Essas passarão, até o fim do mês, por duas semanas de mentorias intensivas. Ao final, as cinco que demonstrarem maior potencial de gerar Business Cases seguirão adiante.

A próxima fase consistirá em um processo de aceleração “pocket”, voltado para o desenvolvimento de Business Cases para a Algar Telecom. Os negócios serão refinados a partir de workshops, mentorias sob demanda e provas de conceito. Com isso, as startups e empresas estarão preparadas para o Demoday, evento que marcará o encerramento do programa.

Após a apresentação final, todas as cinco poderão ser escolhidas e dar continuidade ao trabalho conjunto com a Algar Telecom, garantindo a escalabilidade do seu negócio.