A CombuData, startup criada com o objetivo de levar transparência, controle e consistência à compra de combustíveis, anunciou recentemente um aporte de R$ 2,8 milhões em rodada seed liderada pela firma de venture capital Canary e com participação de Victor Noda e Mario Fernandes, da Mobly, como investidores-anjo. Com o aporte, a empresa pretende acelerar a povoação do marketplace, com fornecedores e compradores e melhorar seus produtos de acordo com a demanda de consumidores.

Fundada em 2019 pelos engenheiros Daniel Colella e Vinicius Donin, a empresa oferece três principais serviços. O primeiro, e o carro-chefe da startup, é a plataforma CombuData, por meio da qual o cliente assinante tem uma visão geral de como estão os preços de combustíveis, quanto está pagando por eles e quanto poderia pagar.

Funciona de maneira bastante simples: basta enviar as notas fiscais das compras de combustível feitas e o sistema cruza essas notas fiscais com um banco de dados próprio, gerando um painel de informações, que qualifica o preço e a sua condição comercial, considerando os custos da cadeia de suprimentos (como custos de produto, fretes, impostos, entre outros).

“Os dados sobre preços ajudam tanto a quem está analisando cotações de distribuidoras, como também a quem pretende avaliar ou até mesmo renegociar contratos”, diz Daniel. “Ajudamos não só a diminuir os custos de um cliente, que pode estar comprando com uma margem muito alta por parte do seu fornecedor, como de um cliente que já esteja comprando com uma margem competitiva, mas que precisa monitorar as oscilações no mercado para se manter competitivo.”

A startup também tem um braço à la consultoria, que auxilia empresas a entenderem com profundidade suas relações comerciais e às vezes contratuais com as distribuidoras e negociarem melhores condições, caso preciso.

A CombuMarket, terceira área de operação da startup, entra aqui. É um marketplace que conecta empresas (de grandes a pequenas) que vendem combustível a empresas (de grandes a pequenas) que compram combustíveis. Foi lançado em julho, deste ano.

“É um marketplace para gerar competitividade ao setor. Há problemas dos dois lados: de um, quem compra pode estar pagando muito mais caro pelo produto do que deveria, deixando de dedicar tempo e energia no seu negócio. Do outro, fornecedores até então desconhecidos, muitas vezes com condições comercial e operacional melhores, não conseguem chegar até esse comprador”, diz Daniel.

Para comprar na CombuMarket, o cliente só precisa fazer um breve cadastro, preencher qual volume quer comprar e especificar suas condições para ver diferentes cotações de maneira imediata, de acordo com suas necessidades. Lembra aquele trabalho de ter de ligar de fornecedor em fornecedor para fazer cotação? A ideia é extingui-lo e tornar todo o processo mais fácil, democrático e transparente.

A todo gás: os fundadores e a ideia 

Daniel Colella e Vinicius Donin conheceram-se na Universidade Federal do Paraná, mais precisamente ao longo da fundação e primeiras operações da empresa júnior de engenharia de produção da instituição (EngePro Consultoria), em 2010. Nove anos depois, entre um contato e outro, Daniel falou a Vinicius sobre a proposta que se tornaria a CombuData. Ele havia identificado a falta de transparência como dor latente ao longo dos anos em que atuou no segmento de distribuição de combustíveis, quando foi gerente de território numa das maiores distribuidoras do país.

“No Rio de Janeiro, como vendedor, notei que, por ser um mercado muito fechado, tanto a empresa frotista, como o posto revendedor ficavam na mão das distribuidoras. Havia pouquíssima autonomia para direcionar uma negociação, já que lhes faltava informação”, diz Daniel.

combudata

Daniel Colella e Vinicius Donin, fundadores da CombuData.

À época da conversa e até hoje, Vinicius é managing partner na RD2 Ventures, fundo de capital de risco que cria parcerias com fundadores em estágio inicial para a criação de empresas de tecnologia, que investiu e ajudou a desenvolver o projeto. Em novembro de 2019, a CombuData foi oficialmente lançada e o MVP começou a rodar em dezembro.

“Somos um negócio 110% voltado ao cliente. Na CombuData, queremos que o cliente deixe conosco o fardo de gestão da compra de combustível. Cada vez mais, facilitar o seu dia a dia, deixando-o livre para focar na sua atividade principal e fazer aquilo que sabe fazer melhor, enquanto nós fazemos o que sabemos fazer melhor. Na CombuMarket, queremos promover novas conexões entre compradores e vendedores de combustível que nunca – ou pouco – haviam se falado antes, criando uma experiência de compra e venda com alto nível de prestação de serviços e, claro, com precificação competitiva para ambas as partes. Há oportunidade de sobra para aumentar e muito o patamar de qualidade de compras de combustível de empresas de frota”, conclui Daniel.

Baseada em Curitiba, Paraná, a startup está com um time de 17 pessoas e conta com clientes de perfis bem diferentes nas regiões sul e sudeste do país. Vão desde pequenos transportadores de carga a grandes grupos de transporte urbano de passageiros. Alguns chegaram a registrar economia de até R$ 2 milhões por ano, em números absolutos, apenas com a tecnologia de predição e análise de preços da plataforma CombuData. O serviço funciona no modelo de assinatura mensal – o valor varia de acordo com o volume de combustível comprado e com a quantidade de pontos de abastecimento do usuário.