O iFood será o primeiro das Américas a iniciar os voos experimentais com drones para realizar entregas com certificação da Anac (Agência Nacional Aviação Civil). Hoje, a Speedbird Aero e AL Drones, empresas responsáveis pela obtenção das autorizações necessárias, receberam o Certificado de Autorização de Voo Experimental (CAVE).

“Esse foi um importante passo para construir um projeto seguro, eficiente e economicamente sustentável junto aos nossos parceiros e órgãos responsáveis. Essa é uma etapa muito significativa para a evolução do uso comercial de drones. Nosso objetivo primário é utilizar o drone para trazer mais eficiência para a operação logística. Estamos confiantes na evolução que o uso desse modal combinado a inteligência artificial pode trazer para a empresa.”, explica Roberto Gandolfo, vice-presidente de Logística do iFood.  

Em julho, a Speedbird Aero e a AL Drones promoveram os ensaios finais do projeto em São José dos Campos (SP), com a participação da Anac. “O projeto foi conduzido de forma profissional. Cada detalhe da aeronave foi trabalhado com toda a atenção, tornando a logística aérea não tripulada uma possibilidade no país”, ressalta Samuel Salomão, fundador e CPO da Speedbird Aero. Todo processo de certificação levou cerca de 11 meses. 

Como vai funcionar?

O drone não fará entregas nas janelas dos clientes. A ideia é que ele complemente a operação dos modais tradicionais, realizando a primeira parte da rota das entregas, que será finalizada por um entregador com moto, bike ou patinete.

Uma rota de 400 metros ligará a praça de alimentação do Shopping Iguatemi Campinas e o iFood Hub, uma estrutura dentro do empreendimento que roteiriza os pedidos. A entrega deve levar em média 2 minutos, um trecho que percorrido a pé pode levar 12 minutos. A partir daí, a última parte do trajeto é feita pelos entregadores.

Há também uma segunda rota de voo que também será realizada com drones em caráter experimental, que terá início no iFood Hub e destino final no droneport de um complexo de condomínios próximo ao shopping. De acordo com as estimativas, a rota de 2,5 quilômetros que por terra seria feita em 10 minutos, passará a ser concluída em 4 minutos. 

Devido ao avanço da pandemia de covid-19, a empresa está avaliando o momento mais adequado para dar início ao projeto, levando em consideração o bem-estar e a saúde de colaboradores e parceiros. A previsão é de que os primeiros voos experimentais sejam realizados nos próximos meses. 

O início dos experimentos com drones na América Latina

Em junho de 2019 foi realizada a primeira ação de delivery por drones, autorizada pela Anac, da América Latina organizada por uma parceria de empresas: Relp! Aceleradora, SpeedBird Aero, NoBones e Infood. A iniciativa também contou com a presença de Lucas Sauaia, co-fundador da Relp! e responsável pela área de B.I, na época, João Pedro Terreiro, analista de negócios, Brunno Barbosa e Marcella Izzo do No Bones, e supervisores da Anac. Confira o vídeo:

O equipamento, que carregava a 1ª picanha vegetal do mundo, da rede de açougue vegano No Bones, saiu do Parque Ecológico de Barueri, próximo à Av. Dr. Dib Sauaia Neto, em Alphaville, com destino final em Santana do Parnaíba, percorreu uma distância de um pouco mais de 1 quilômetro até chegar ao seu destino, um condomínio residencial em Alphaville. A ação recebeu a primeira autorização da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) para realizar a entrega de comida no Brasil junto com o DECEA da Força Aérea Brasileira (FAB).