Nesta quarta-feira, o Facebook divulgou o Relatório Global sobre a situação das pequenas empresas, produzido em parceria com o Banco Mundial e a OCDE (Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico).

Feito com 30 mil líderes de pequenas e médias empresas em mais de 50 países, este é o primeiro relatório de uma série que se encerrará em dezembro, com o objetivo de compreender a situação dessas organizações ao redor do mundo, incluindo o Brasil, após as restrições causadas pela covid-19

A pesquisa revela que o caminho para a recuperação é incerto e que muitos podem precisar de apoio de governos ou outras instituições para voltar aos trilhos. Desde o surgimento do coronavírus, os pequenos e médios negócios passaram a enfrentar um desafio inesperado, que se transformou não apenas em uma emergência de saúde pública, mas também em uma crise econômica que atinge excepcionalmente os pequenos negócios.

Porém, embora os dados sejam preocupantes, o estudo mostra que 43% das pequenas e médias empresas operacionais no Facebook estão otimistas quanto ao futuro dos negócios. Outro dado positivo foi o comércio digital, que passou a ser um importante aliado dos pequenos negócios: 47% das PMEs operacionais no Facebook relatam que 25% ou mais de suas vendas foram realizadas online nos últimos meses.

“O negócio do Facebook é ajudar os pequenos negócios. Mais de 160 milhões deles usam o Facebook, Instagram, Messenger ou WhatsApp todos os meses para alcançar clientes, vender e crescer. Sabemos que as PMEs são uma das bases mais importantes da economia e estamos felizes e motivados por saber que temos ferramentas e recursos para apoiar e promover sua transformação digital. Se eu precisasse destacar uma tendência que vejo, seria a mudança dos consumidores em direção ao omnichannel, onde a experiência on-line permanece fundamental para a estratégia de venda”, diz Maren Lau, vice-presidente do Facebook na América Latina.

A seguir, os principais pontos revelados pela pesquisa que apresentam esse cenário:

Brasil

– 47% das pequenas e médias empresas operacionais no Facebook relatam que 25% ou mais de suas vendas foram realizadas online no último mês;

– 43% das pequenas e médias empresas operacionais no Facebook estão otimistas quanto ao futuro dos negócios;

– Cerca de 30% das pequenas e médias empresas pesquisadas no Brasil disseram receber algum tipo de assistência financeira e cerca de 75% delas relataram que essa ajuda se dá sob a forma de doações ou empréstimos do governo;

– 18% dos negócios que fecharam esperam recontratar os antigos funcionários quando reabrirem e 52% das pequenas e médias empresas operacionais no Facebook preveem que o fluxo de caixa será um desafio nos próximos meses;

– 37% das pequenas e médias empresas operacionais no Facebook reduziram a quantidade de funcionários e colaboradores por causa da pandemia.

Global

– 36% das PMEs fechadas planejam contratar os mesmos trabalhadores quando reabrirem;

– Um quarto das empresas fechadas estão pagando os trabalhadores enquanto estão fechados, pelo menos parcialmente;

– 67% das pequenas e médias empresas pertencentes a mulheres (em comparação com 69% daquelas pertencentes a homens) se encontram em operação ou envolvidas em algum tipo de atividade geradora de receita;

– 37% das pequenas e médias empresas operacionais no Facebook reduziram a quantidade de funcionários ou trabalhadores como consequência da pandemia da covid-19;

Na amostra global, os setores com mais fechamentos das atividades incluem: agências de viagens ou turismo (54%), serviços de hospitalidade e eventos (47%), serviços de educação e cuidado infantil (45%), hotéis, cafés e restaurantes (32%). 

A desigualdade entre mulheres e homens também se mostrou no relatório, que informou que 23% das líderes de negócios tiveram que passar seis horas ou mais por dia em tarefas domésticas, como cuidar de familiares, em relação a 11% dos líderes empresariais do sexo masculino.

Para mais detalhes sobre a metodologia e a amostragem, acesse o site.