O mercado de odontologia é um dos que mais crescem no país atualmente, e os números não deixam mentir: 1 em cada 5 cirurgiões de todo o mundo estão aqui. Segundo dados do Conselho Federal de Odontologia (CFO), o Brasil conta hoje com 339.450 cirurgiões dentistas. O Estado de São Paulo concentra a maior parte deles: 99.735 profissionais atuam nesta especialidade. Em segundo lugar, está Minas Gerais, com 39.675.

Por sua vez, as odontotechs, startups responsáveis por fornecer soluções para este segmento em específico, ajudam a impulsionar este mercado. De acordo com a base da dados da Associação Brasileira de Startups (ABStartups), o StartupBase, não há uma separação específica de empresas do ramo. Porém, o que se sabe é que, de acordo com o levantamento, 2,3% das startups de saúde e bem-estar mapeadas atuam na área de odontologia, o que dá um total de 11 iniciativas.

Uma delas é a Dentalis, empresa de softwares odontológicos que atende 17 mil clínicas em todo o território nacional. Ela é responsável por fornecer soluções para gestão e otimização de clínicas odontológicas, atuando em três diferentes modalidades de atendimento: consultórios individuais (Dentalis Net online), redes de clínicas (Dentalis Net – Rede de clínicas) e também instituições de ensino de Odontologia (Dentalis Net Clínica Escola).

A odontotech já fez parcerias com fintechs (FitBank e QuickCheck) e outras empresas como a Fator Seguradora e a israelense DUDA, startup de webdesign, tornando-se um hub digital para dentistas. Desde a sua criação, já recebeu dois aportes do Programa Pesquisa Inovativa em Pequenas Empresas (PIPE) e da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de S. Paulo (Fapesp).

“Ao optarem pelo ERP (Sistema Integrado de Gestão Empresarial) da Dentalis, os profissionais conseguem ter acesso gratuito a uma conta digital para realizar pagamentos e emitir boletos de cobrança, aquisição de apólices de seguro de responsabilidade civil, sites da clínica com agendamento integrado, além de disponibilizarem aos pacientes o app iConsulta, que oferece a possibilidade de teleatendimento”, destacou Sergio Aronis, CEO e fundador da Dentalis. No caso deste último serviço, adicionado recentemente, as videochamadas possibilitam que os dentistas falem com seus pacientes, mesmo com os consultórios fechados.

De um modo geral, o iConsulta é um aplicativo para uso do paciente da clínica, que consegue agendar horários de consultas, desmarcá-los caso haja necessidade, visualizar vídeos para melhora da sua higiene bucal e até mesmo realizar pagamentos de parcelas que estejam em aberto. 

Interface do aplicativo iConsulta.

Outro serviço da startup é o Dentalis Mobile, solução criada pela própria odontotech para facilitar a vida dos profissionais odontológicos, permitindo que eles registrem o prontuário eletrônico dos pacientes em seus smartphones e sincronizem essas informações automaticamente com o sistema do consultório. “A ferramenta otimiza o uso do espaço nos consultórios eliminando a necessidade de um computador apenas para que o profissional catalogue prontuários. O App concentra todas as operações da clínica na tela do smartphone”, explicou Aronis. Cerca de 60 mil dentistas em todo o Brasil utilizam as soluções da startup.

Interface do aplicativo Dentalis Mobile.

Para o CEO, o mercado odontológico vem crescendo bastante nos últimos tempos e com ele, surgem suas necessidades tecnológicas. “O segmento de odontologia é considerado um mercado em expansão em todo o território nacional. Vários investidores (pessoa física e jurídica) fazem seus movimentos. Em um cenário como este, não é possível imaginar qualquer tipo de gestão que não seja digital”.

Sergio Aronis, CEO e fundador da Dentalis.

Ainda assim, Sérgio considera que não haja uma digitalização plena dos profissionais da área no Brasil. “Temos muito a avançar. O mercado brasileiro é considerado o segundo do mundo, atrás apenas dos Estados Unidos, apesar de que em número de dentistas sejamos os primeiros”. Isso explica, segundo Aronis, que a falta de cultura por parte dos brasileiros de irem ao dentista já tenha sido vencida. “Se fizermos uma pesquisa com a população em geral, o cuidado com os dentes aparecerá, com certeza, como um dos principais cuidados na área de saúde. Nossos dentistas são bem conceituados e a preocupação com a odontologia estética é crescente”.

Desde o final do último mês de junho, a empresa voltou ao crescimento de 2 dígitos, como na pré-pandemia, e já comenta sobre as perspectivas para o futuro. “Continuar nosso crescimento e consolidar nossa imagem como um hub digital para a odontologia com soluções 360º para clínicas e pacientes”, finalizou.

UDlab

Outra startup que também está empenhada em ajudar profissionais de odontologia e pacientes em todo o Brasil é a UDlab. A odontotech, que chegou ao mercado no ano passado, conecta dentistas a laboratórios de prótese em poucos cliques, com a triagem baseada em localização, preço e prazo. 

O que antes era feito de forma analógica e sujeito a erros pode ser facilmente resolvido na plataforma criada pela empresa. Nela, é possível cadastrar as informações referentes a prótese do pedido como a cor e material, por exemplo, além da possibilidade de enviar vídeos e fotos para ilustrar o quadro do paciente. O pagamento do pedido também ocorre via smartphone, o que minimiza as falhas durante o processo produtivo. 

“Com nossa solução, os dentistas oferecem aos seus pacientes uma odontologia cada vez mais aperfeiçoada e os laboratórios captam mais clientes e aumentam suas atividades. Além disso, conseguimos diminuir o tempo de solicitação, pois com a tecnologia integrada, tornamos esse processo muito mais rápido”, explicou o CEO e fundador da empresa, Luis Calicchio. Segundo ele, a tecnologia da UDlab reduz o tempo de entrega para 5 dias úteis, um terço do período de entrega normal de mercado atualmente. “Mais conveniência para os dentistas e seus pacientes”.  

Interface da plataforma da UDlab.

Atualmente, mais de 1.400 dentistas de 13 estados brasileiros estão cadastrados na plataforma, estes que podem contar com centenas de laboratórios distribuídos em 17 unidades da federação. A startup nasceu com um aporte de investidores-anjo e na semana passada, recebeu um novo aporte, desta vez, de R$ 600 mil. 

Segundo Calicchio, o novo investimento será destinado ao crescimento do time, principalmente nas áreas de tecnologia e atendimento ao cliente. “Nosso objetivo é oferecer aos dentistas um serviço de qualidade, com velocidade, e garantir a melhor experiência do cliente. Temos um roadmap grande para o aprimoramento de nosso produto, que promete disruptar ainda mais várias relações deste mercado tão tradicional”.

Durante a pandemia, a startup criou o movimento #SaveDentistry, que tem como iniciativa o “Adote um laboratório”. Nele, mais de 20 estabelecimentos parceiros da UDlab pelo país disponibilizaram aos clientes vouchers de até 100% de bônus para pedidos futuros, de forma a ajudar os laboratórios que tiveram uma queda nos pedidos. De acordo com Luis, em apenas 40 dias, foram transacionados mais de R$ 800 mil em vouchers, impactando 98 mil dentistas no total.

“Esta campanha foi pontual para o momento crítico de quarentena, que possibilitou os microempreendedores a manterem seus negócios saudáveis neste período tão difícil. Novos projetos e campanhas serão ativadas nos próximos meses de 2020 prometendo acelerar ainda mais o número de pedidos dentro da plataforma. O objetivo é aquecer o mercado odontológico ajudando na recuperação do setor”.

Interface da plataforma da UDlab.

Luis comenta a importância de novas soluções para a odontologia no país, sobretudo neste momento, e alerta sobre a atenção necessária a ser dada ao setor. “Não consigo imaginar este mercado sem tecnologia. Isso não é mais o futuro e sim o presente. A digitalização de toda a cadeia está sendo realizada por grandes empresas do setor e tudo isso é muito bom para as startups que chegam com soluções inovadoras e inteligentes, aproveitando todo este movimento. Temos muitas oportunidades e aqueles que conseguirem desvendar as necessidades reais dos clientes, estarão um passo à frente para se destacarem no mercado.

O CEO acredita bastante no crescimento do setor, dado o apelo estético acentuado do brasileiro. Além disso, segundo ele, a tecnologia tem tornado os processos mais acessíveis financeiramente, aproximando os pacientes dos consultórios. “Este processo de digitalização do mercado odontológico está possibilitando uma redução dos custos destes tratamentos, o que irá permitir um maior acesso da população. E tenho certeza que nos próximos anos muita coisa vai mudar, a tecnologia ficará cada vez mais barata, novos players surgirão com soluções inovadoras e um maior acesso a odontologia vai acontecer de forma natural”.

Ele destaca as perspectivas para 2021, ano em que, de acordo com o CEO, o mercado deve expandir. “Acredito que o segundo semestre de 2020 é um momento de recuperação. Mas acredito também que, pelo fato de muitas pessoas estarem sem opções de viagens, estas estão mais propensas a investirem no bem estar, na autoestima. É aí que faremos a diferença. Aproveitaremos a oportunidade em devolver a alegria a estas pessoas que sofreram tanto com esta pandemia. A história mostra isso: em momentos de guerra e pós-guerra, a procura por produtos de beleza e cuidados pessoais cresceram de forma considerável. Com a odontologia, não será diferente”.

Apesar das iniciativas feitas na área, Calicchio também concorda que não haja uma digitalização absoluta dos profissionais da área no Brasil. “Apenas 5% do nosso mercado está digitalizado. Acredito que este número crescerá de forma exponencial nos próximos dois anos. São muitas soluções chegando e a preços cada vez mais acessíveis. Ainda enfrentamos a dificuldade da compra de insumos a preços mais competitivos, quando isso acontecer veremos a adesão da tecnologia crescer ainda mais”. 

Luis Calicchio, CEO e fundador da UDlab.

Para Luis, os dentistas e laboratórios devem entender que a tecnologia os torna mais produtivos e os colocam em uma posição de destaque no mercado. “O paciente está antenado às tendências e passarão a exigir cada vez mais estas soluções inovadoras dos profissionais. Já vejo muitos jovens profissionais hoje se destacando no mercado pois possuem este mindset do digital, o que garante uma qualidade de entrega e os faz serem procurados pelos pacientes”, destacou.

Por fim, o fundador destacou a expectativa da empresa para os próximos meses, sobretudo em relação ao produto oferecido pela UDlab, que ficará cada vez mais inteligente e intuitivo. “A tecnologia está na nossa veia, o nosso time respira inovação e estamos focados em entregar a melhor experiência para nossos clientes”, finalizou.


O Startupi segue apresentando iniciativas de empresas que estão minimizando os impactos causados pela pandemia. Quer saber mais? Clique aqui.