A startup Sigalei recebeu um aporte de R$ 1,3 milhão em rodada de investimento liderada pelo GVAngels, da qual participam Allievo Capital e SL Anjos. O valor deve ser usado para investir em áreas como Processamento de Língua Natural (PLN) e aprendizado de máquina.

Por meio da mineração de informações e da análise automatizada, utilizando técnicas avançadas de prospeção de dados, a startup mostra o quanto as questões políticas e regulatórias do País podem impactar positivamente ou negativamente o ambiente de negócio no qual as empresas estão inseridas.

“Coletando informações dos poderes executivos, legislativos e opinião pública, realizamos cruzamentos de dados e apresentamos para os clientes atos normativos, projetos de lei e movimentações sociais que lhes permitem embasar decisões estratégicas baseadas em dados para conduzir seus negócios de maneira sustentável, inclusive destacando sinais que tendem a passar despercebidos ao mercado”, esclarece Frederico Oliveira, CEO que fundou a empresa junto com Danilo Oliveira (CTO) e o cientista político PhD Ivan Ervolino (CSO).

A jornada da Sigalei começou com um aplicativo premiado em um concurso voltado ao monitoramento legislativo com o objetivo de promover a transparência das atividades governamentais. O prêmio, de R$ 80 mil, recebido em 2015, permitiu que fosse desenvolvida a tecnologia própria. Em pouco tempo, conquistaram os primeiros acessos de cidadãos interessados (pessoas físicas), receberam avaliações e sugestões de melhorias, até definirem seu MVP (Mínimo Produto Viável), momento em que, percebendo oportunidades inexploradas neste mercado, decidiram transformar a Sigalei em um negócio.

Foi assim que, em maio de 2016, em São Carlos/SP, iniciaram oficialmente a operação da startup, após o fechamento de contratos com importantes empresas. Hoje a plataforma oferece serviço de monitoramento legislativo e inteligência governamental para dezenas de clientes. Entre eles, empresas, associações e consultorias políticas. Para isso, atuam em proximidade com Assembleias Legislativas, Câmara de Deputados, Senado e Governo Federal.

Investimento

Após 3 anos de amadurecimento do negócio e crescimento orgânico, a Sigalei decidiu buscar parceiros para ajudar a escalar o negócio. A startup escolheu o GVAngels como grupo de investimento, em razão do potencial oferecido para a escalabilidade do negócio. “Agora passamos a ter acesso à rede de relacionamento do GVAngels. Os membros participantes no investimento são profissionais qualificados, e podem nos gerar uma mentoria muito eficiente, de alta performance. Acreditamos que nenhuma empresa cresce sozinha. Então, esse suporte é fundamental. O grupo com certeza pode elevar a Sigalei para um próximo patamar: com mais investimento, desenvolvimento de novos e melhores produtos”, comenta Frederico.

É a primeira vez que o GVAngels investe em uma empresa desse segmento. “A Sigalei nos chamou atenção, por vários motivos: tem equipe muito competente, oferece um serviço muito relevante para tomada rápida de decisões importantes para as empresas clientes e opera com lucro desde o primeiro ano de funcionamento“, relata Wlado Teixeira, diretor executivo do GVAngels.

Já a Allievo Capital, que busca investimentos alternativos e líquidos, encontrou na Sigalei uma combinação de fatores positivos que a fez tomar a decisão de investir em conjunto com o GVAngels. “Os empreendedores chamam atenção pela sua capacidade de execução e, além disso, vimos que o mercado endereçável do produto pode ser maior do que o apresentado pela startup”, aponta Matheus Baldi, confundador da Allievo Capital. “Entendemos que o produto tem fit para diversas outras indústrias que podem se beneficiar das informações e buscas oferecidas. Conseguimos assim ver que o roadmap da empresa vem sendo entregue com bastante eficiência”, complementa Guilherme Queiroz, confundador da Allievo Capital.

Para o investidor Marco Tulio Kehdi, a principal razão para a SL Anjos investir na startup foi sua liderança. “O time da Sigalei sempre se mostrou incrivelmente apto em resolver problemas e criar soluções que facilitem a gestão de informações que serão cada dia mais críticas para a gestão eficiente das empresas em cenários de aumento da complexidade legal em que elas navegam. Além disso, as apostas do futuro desse mercado, pensando nas inúmeras esferas que podem modificar os cenários para as empresas, dão ainda mais suporte para a decisão de investimento. A expectativa é que com o aporte a Sigalei seja capaz de desenvolver suas diferentes ferramentas para monitoramento do cenário legal e assim se consolidar como uma das principais legaltechs do Brasil”, explica.

Com esse aporte, a Sigalei irá investir em áreas como Processamento de Língua Natural (PLN) e aprendizado de máquina, para aprimorar o processo de coleta e processamento do grande volume de dados governamentais disponíveis, aproximando ainda mais as fontes de informação dos seus clientes.

“Queremos também aumentar nossa presença em agências reguladoras, órgãos públicos e Poder Executivo. Com isso, buscamos construir um novo posicionamento, baseado na responsabilidade e no melhor preparo das organizações, para antever e gerir situações de vulnerabilidade. Viabilizamos assim uma postura mais ética e transparente por parte das empresas, demanda cada vez mais presente nesta nova realidade global”, conclui Frederico.