Como parte da missão de construir um sistema econômico mais equilibrado, o Sistema B e a organização Capitalismo Consciente fecharam uma parceria inédita para movimentar os atores mais relevantes dessa mudança: as empresas. Trata-se do programa de financiamento emergencial CoVida20, desenvolvido em conjunto pela Din4mo Ventures e pela Trê Investindo com Causa, e lançado para possibilitar empréstimos para pequenas empresas de impacto socioambiental.

Francine Lemos, diretora executiva do Sistema B Brasil, enxerga a iniciativa como o momento para grandes empresas se posicionarem diante do contexto que virá após a crise. “Mais do que oferecer ajuda assistencial, nosso foco é estimular a materialização de uma nova economia, fortalecendo empresas que já inovam em um modelo de negócios diferente do tradicional. Temos aqui uma grande oportunidade, talvez a única que presenciaremos, de promover mudanças estruturais e disruptivas para propiciar o nascimento de um novo sistema econômico, mais inclusivo, igualitário e regenerativo, para as pessoas e para o planeta”, afirma.

Como funciona o CoVida20

O programa constitui-se em oferecer um empréstimo para pequenas empresas com taxas reduzidas, além de carência e prazos alongados, em comparação com financiamentos tradicionais. Essas condições especiais são viabilizadas pela modalidade de investimento conhecida no mercado como Blended Finance, que consiste na união de diferentes tipos de investimentos – recursos de capital filantrópico e recursos de investidores remunerados com juros – para atingir um objetivo em comum.

O empréstimo pretende garantir, ao longo dos próximos meses, o fluxo de caixa necessário para manter os empregos e a renda das pessoas que atuam pelo negócio de impacto, tanto colaboradores quanto serviços terceirizados e pró labore. O montante será disponibilizado na plataforma de empréstimo como “rodadas” mensais e pode comportar de 1 a 4 rodadas de empréstimo de acordo com a sua necessidade. Os recursos do programa CoVida20 podem ser utilizados em complemento a outros programas governamentais de manutenção de emprego e renda.

O processo seletivo e a operação serão conduzidos em parceria com a Trê Investindo com Causa e a plataforma MOVA (SEP). Toda a transação funcionará por meio de empréstimo direto, em formato de investimento Peer-to-Peer (P2P), o que reduz a burocracia e agiliza o processo. Na plataforma serão disponibilizados os pedidos dos negócios e os investidores poderão escolher quem querem financiar.

Para os investidores, os benefícios são, além do retorno financeiro sobre o valor investido, a chance de participar ativamente da rede de implantação de uma nova economia, cujo maior indicador de sucesso seja o de contribuir para uma sociedade mais sustentável e equilibrada nos seus pilares.

Para aqueles que pretendem doar, foi criado o Fundo Filantrópico Rotativo CoVida20, administrado pela SITAWI Finanças do Bem, que continuará fomentando negócios de impacto após a crise. Operacionalmente, os recursos doados ao fundo serão emprestados para os negócios via plataforma.

“O CoVida20 funciona como um hospital de campanha provendo o oxigênio financeiro para pequenos negócios comprometidos com princípios de um capitalismo mais consciente e de uma nova economia orientada por cuidado com cada stakeholder”, explica Dario Neto, diretor-geral do Capitalismo Consciente. “As grandes empresas alinhadas com este novo capitalismo têm um papel fundamental para proteger e cuidar desse ecossistema de negócios de impacto socioambiental positivo. O programa é o fio que une empresas e investidores – grandes e pequenos – que compactuam com essa visão, aos pequenos empreendimentos que já atuam ou buscam atuar dentro desse novo jeito de fazer negócios com mais amor, consciência e cuidado”, acrescenta.

Critérios e condições

Para serem beneficiadas pelo CoVida20, o negócio interessado deve atender, inicialmente, a um dos seguintes requisitos: ter faturamento anual de até R$ 10 milhões – com prioridade para empresas com faturamento entre R$ 360 mil e R$ 5 milhões/ano – e ter disponibilidade para fornecer relatórios semestrais pelo período do financiamento. Serão priorizadas aquelas que têm ligação com o Sistema B, com o Capitalismo Consciente, com outros movimentos de impacto socioambiental ou que estejam dispostas a fazer parte de um deles.

Além das quatro organizações idealizadoras, o programa tem o apoio do Movimento Não Demita e parceria estratégica com instituições reconhecidas no ecossistema de impacto, como Fundación Avina, ICE (Inovação em Cidadania Empresarial), SITAWI Finanças do Bem, Bemtevi, CEBDS, Wright Capital e Grupo Gaia, além de outros atores que estão firmando acordos de colaboração .

O CoVida20 prevê atender nesta primeira etapa aproximadamente 100 negócios e movimentar a partir de R$ 15 milhões em empréstimos, conectando investidores a negócios de impacto. Empresas como Gerdau e Movida já estão apoiando o Programa e fazem parte do grupo de investidores que acreditam numa mudança para a Nova Economia. Outras empresas interessadas em investir ou receber empréstimo devem se cadastrar pelo link.