Com o conhecimento adquirido na Itália e na Europa sobre medidas de combate à proliferação da Covid-19 e a experiência dos projetos desenvolvidos no período de Olimpíadas e Copa do Mundo no Rio de Janeiro, a Tim fechou parceria com a Prefeitura do Rio de Janeiro para análise de dados de deslocamento que vão permitir rastrear as concentrações e movimentos de pessoas nos territórios afetados pela pandemia.

As informações serão coletadas com o intuito de auxiliar no controle do vírus na cidade, já que permitem que os órgãos governamentais avaliem a eficácia das medidas que já foram implementadas por eles e de facilitar a tomada de novas decisões.

“A parceria tem como maior objetivo munir a Prefeitura do Rio com dados em tempo real que podem impactar ativamente a estratégia de contenção do vírus. São informações massivas acessíveis a todas as operadoras que preservam o anonimato dos clientes, mas que se tornam valiosas num momento em que entender o movimento da população significa prever a movimentação da Covid-19. Para TIM é muito importante poder apoiar o País nesta fase desafiadora, fornecendo ferramentas essenciais para o controle da doença”, explica Leonardo Capdeville, CTIO da Tim Brasil.

A solução consiste em traçar “mapas de calor” com base na concentração de usuários por localidade em determinado momento. Neste primeiro momento já é possível entender a movimentação das massas pela cidade e a adoção de medidas de reclusão “quarentena” em todos os bairros de Rio de Janeiro. A operadora está buscando alternativas para cruzar os focos epidemiológicos do vírus e pontos de alta concentração de pessoas nas ruas a fim de evitar o crescimento acelerado como foi visto em outros países do mundo. Todas as informações coletadas são anônimas, respeitando critérios de confidencialidade e segurança de dados pessoais, segundo prevê à Legislação.

“Nesse momento, é muito importante fazer parcerias para que possamos tomar as melhores decisões para o cidadão. Durante as Olimpíadas, o mapa de deslocamento ajudou muito a prefeitura a traçar os planos de mobilidade dos jogos. Estamos passando por um momento de extrema cautela e saber onde há concentração de usuários, vai nos ajudar a orientar a população da melhor maneira”, comenta Alexandre Cardeman, chefe-executivo do Centro de Operações Rio.

A operadora enviará informações online sobre o perfil de deslocamento de pessoas, por toda a cidade do Rio de Janeiro. Isso será possível graças às antenas que a operadora possui espalhadas pela cidade. Assim, os órgãos públicos poderão avaliar a tendência de mobilidade dos bairros antes e depois da pandemia, entender se as pessoas estão respeitando a reclusão, analisar se um bairro ou uma região especifica está sofrendo aumento populacional ou não e com isso subsidiar ações das autoridades competentes no que tange ao contingenciamento da propagação do vírus.

A Tim já foi parceira da Prefeitura em um projeto semelhante em 2016, auxiliando nas medidas de segurança e transportes durante os jogos olímpicos do Rio. O modelo poderá ser facilmente replicado em outros estados brasileiros, em parceria com governos locais, auxiliando o País a controlar a epidemia em todo o território nacional.