Os Estados Unidos economizarão US$ 150 bilhões por ano com cuidados com a saúde até 2026 por meio de aplicações de inteligência artificial. E essas tendências começam a mostrar resultados positivos no Brasil também. Exemplo disso é o Hilab, uma startup que usa inteligência artificial junto a um profissional de saúde treinado para realizar exames laboratoriais e entregar os resultados em poucos minutos.

O dispositivo cria uma “versão digital” da amostra que é transmitida instantaneamente via internet para a equipe de biomédicos em um laboratório físico, localizado em Curitiba, no Paraná.

Lá, especialistas contam o auxílio de algoritmos de IA própria para emitir um laudo em questão de minutos. O custo dos exames varia entre R$ 15 e R$ 80. “Nós acreditamos que a melhor tecnologia não precisa ser a mais cara. Estamos tentando criar um mundo onde todas as pessoas têm acesso ao mesmo cuidado”, explica Marcus Figueredo, CEO da Hi Technologies, empresa responsável pela criação do Hilab.

As pesquisas na área demonstram que não só a inteligência artificial, mas a tecnologia de forma geral está no caminho de fazer grande diferença na saúde das pessoas. Um estudo conduzido pelo Google em conjunto com centrais médicas conclui que os computadores são tão bons quanto, ou até melhores, que os médicos humanos na detecção de minúsculos cânceres pulmonares em imagens de tomografia computadorizada.

Em uma outra pesquisa realizada pela Universidade de Tel Aviv, em Israel, foi impresso um coração 3D com tecido humano e com todas as estruturas de um coração real: veias, ventrículos e átrios.

Esses exemplos demonstram bem o quanto a saúde está no foco das soluções tecnológicas. Apesar de alguns avanços ainda estarem em fase de pesquisa, muitas inovações já se mostram excelente soluções para diversas necessidades da área médica. “A tecnologia está mudando a cara da saúde e, cada vez mais, ficará clara a ideia de hospital sem paredes. Os profissionais de saúde estão sendo empoderados, de forma a aumentar o alcance do cuidado”, avalia Figueredo.