Para ajudar no combate ao coronavírus, a Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações) pediu às empresas de telecomunicações que aumentassem a velocidade da banda larga fixa de seus clientes e a liberação do acesso de redes Wi-Fi em locais públicos.

O pedido foi feito através de um ofício expedido nesta semana com indicação de medidas a serem implementadas em benefício da sociedade nesse período. Tais sugestões decorrem da percepção de que os serviços de telecomunicações terão função ainda mais essencial à população, seja para comunicação, entretenimento, trabalho remoto, bem como serviços de saúde e educação e preservação dos fluxos de trabalho e negócios.

Nesse sentido, as medidas orientadas às prestadoras envolvem:

  • Aumento de capacidade aos consumidores;
  • Gestão da continuidade e qualidade dos serviços;
  • Prioridade de atendimento para serviços de utilidade pública, como hospitais; apoio à comunicação do ministério da saúde pelos meios disponíveis;
  • Acesso ao aplicativo “Coronavirus – SUS” do Ministério da Saúde, sem desconto de franquia.

A Anatel determinou também às prestadoras de telefonia móvel o envio de mensagens orientativas ao público dos aeroportos internacionais brasileiros, conforme formulação do Ministério da Saúde.

A empresa coordenou com as prestadoras Claro, Oi, Tim, Vivo, Algar, Nextel e Sercomtel, bem com o Sinditelebrasil, a viabilização de uma solução emergencial, que já está disparando as mensagens desde o desde semana passada, na qual já foram disparadas mais de 100 mil mensagens. A plataforma tem flexibilidade para alteração da localização dos destinatários, com ampliação futura da campanha.