Através de uma narrativa lúdica, histórica e social, a Rosas de Ouro, escola de samba paulistana, levará à avenida IoT, realidade aumentada, robótica, entre outras tecnologias com ‘Tempos Modernos’ como samba enredo.

André Machado, carnavalesco da Rosas de Ouro, contou ao STARTUPI que o tema deste ano foi sugerido pela Mercedez Benz, empresa parceira da escola há 10 anos, logo após o carnaval de 2019. Ao decidir que indústria 4.0 seria o norte da escola em 2020 e com o objetivo de proporcionar uma experiência a quem assiste ao desfile, a escola foi apresentada a potenciais parceiros. Entre eles, o Instituto Mauá de Tecnologia, Escola Politécnica da Universidade de São Paulo, Centro Universitário FEI e a empresa especializada em consultoria estratégica People+Strategy.

Ari Costa, um dos professores e pesquisadores do Instituto Mauá, relembrou que a inspiração para levar este tema para o carnaval começou quando 50 acadêmicos e profissionais de empresas líderes em tecnologia, preocupados com a posição do Brasil na classificação de competitividade do WEF, escreveram o livro ‘Automação e Sociedade – Quarta Revolução Industrial – Um olhar para o Brasil’, porém, o impacto foi pequeno, segundo ele.

“Enxergamos que se a mensagem pudesse ser passada por meio de um evento que estivesse na raiz da cultura brasileira poderíamos obter mais sucesso, e nada melhor do que o Carnaval para isso. Depois de uma longa jornada e muitos ‘nãos’, ou seja, tecnologia não dá samba, encontramos a Sociedade Rosas de Ouro, disposta a ser o farol a iluminar o nosso propósito e contar na avenida o enredo ‘Tempos Modernos'”.

André completou dizendo que não fazia sentido só falar sobre a tecnologia, era preciso aproveitá-la, ou seja, levar realidade aumentada, robótica e IoT para a avenida, por isso, essas parcerias foram essenciais para a implementação do projeto que resultou em 14 experiências digitais interativas.

A People+Strategy ficou responsável pelo relacionamento entre as universidades e empresas de tecnologia com a Rosas de Ouro. “Entendemos desde o início que trataríamos de realidades diferentes e com expertises complementares, mas que isto demandaria um esforço de implementar processos e mediar os relacionamentos para que a comunicação fosse mais fluida”, detalhou Célia Foja.

rosas de ouro.tempos modernos

A partir de um filtro de Stories disponibilizado no aplicativo, será possível ficar com a mesma fantasia dos componentes da avenida.

Carnaval 4.0 – App

Idealizada pelos parceiros, uma das novidades que a Rosas de Ouro apresentará este ano é o aplicativo ‘Carnaval 4.0’ que foi desenvolvido pelo Instituto Mauá de Tecnologia, em parceira com a GS1 Brasil (Associação Brasileira de Automação).

Através dele, por exemplo, o usuário conseguirá ver o carro alegórico 6, que foi produzido exclusivamente para ser visualizado em realidade aumentada e projetado em algum espaço vazio e plano. É possível movê-lo e observá-lo no ambiente que preferir, seja no sambódromo, enquanto a escola desfila, como dentro de casa.

Sexta alegoria só será vista por quem baixar o aplicativo da escola Rosas de Ouro
Foto: Divulgação

Além disso, o carro Abre Alas também traz uma novidade tecnológica que pode ser visto no ‘Carnaval 4.0’. Pelo app, o público terá a oportunidade de visualizar detalhes do carro antes de sua construção, toda estrutura interna de sustentação e como ele foi construído.

“Além de levar ao público conhecimento técnico, de forma visual de como uma alegoria é construída, o projeto desenvolvido por alunos da Engenharia Mecânica da FEI, com metodologias e sistemas utilizados em aula deixará um importante legado para a Rosas de Ouro, que poderá usar o modelo e o sistema desenvolvido pelos alunos nos futuros carnavais e que trará, além de segurança, a otimização do uso de recursos”, explicou Michele Rodrigues, do departamento de Engenharia Elétrica do Centro Universitário FEI, instituição que ficou responsável por essa produção.

Dentro da parceria com a escola de samba, a universidade também criou o quiz ‘Eu sou a revolução’, que tem o objetivo de levar conhecimento ao público, de forma simples e divertida, sobre temas como Indústria 4.0, Manufatura Digital, Inteligência Artificial, Realidade Aumentada e muito mais. O teste pode ser acessado através do link e pelo app.

Durante o desfile físico, as pessoas ainda poderão usar o ‘Carnaval 4.0’ para uma experiência de Realidade Aumentada com o terceiro carro da Rosas de Ouro na categoria ‘Passista 4.0’, além de monitorar em tempo real o nível de emoção de quem está desfilando na avenida pela escola pelo ‘Conectando emoções’.

Marcos Ribeiro, professor universitário da USP, destacou a importância levar o tema para a avenida. “O carnaval permite alcançar grandes públicos, de todas as esferas sociais e interesses, portanto muito mais amplos que somente aqueles conectados à tecnologia. Desta forma, pode-se divulgar avanços tecnológicos importantes, que impactam a vida de todos”, afirmou ele.

Inovações 

Além das experiências digitais interativas citadas acima, o Carnaval também trará outras tecnologias para melhorar performance e desempenho da escola.

Uma das atrações que a escola levará ao Sambódromo do Anhembi será o ‘Future-se’. O grupo cênico desfilará com 20 monociclistas conduzindo monociclos elétricos de última geração para representar uma nova proposta de mobilidade urbana para a sociedade através da tecnologia.

Dividindo espaço entre passistas e ritmistas estão também robôs. “No carro abre alas, por exemplo, dois robôs estarão simulando a montagem de um cérebro, que estará montado em um painel produzido pela Contric, para exemplificar a mudança na Indústria, hoje, toda automatizada. Na terceira alegoria, um verdadeiro balé de braços robóticos é que poderá ser visto com os robôs da Staubli, programado pelos nossos alunos para se moverem durante todo o desfile em sincronia com o samba”, explicou Michele Rodrigues.

Para os ritmistas, entretanto, a tecnologia será colaborativa. Ao longo do desfile, o Robô Bateria 5G distribuirá a eles baquetas para substituir as que quebrarem durante a apresentação.

A tecnologia também ajudará a escola a ter um bom desempenho no quesito evolução. Na avenida, todos os componentes terão em suas fantasias chips que transmitirão aos dirigentes horário de entrada e tempo de desfile em cada setor, por exemplo. Para André, a escola será pioneira em levar essas tecnologias para o carnaval e destaca que provavelmente será uma tendência que outras escolas adotarão. “Tecnologia é movimento e escola de samba também”, afirmou ele.

Angelina Basílio, presidente da Rosas de Ouro, também falou com o STARTUPI e destacou a importância de incluir a tecnologia no Carnaval e desmistificar técnicas como a Realidade Aumentada. Confira no vídeo abaixo:

Rosas de Ouro – Tempos Modernos

André contou que todo o enredo foi criado com a preocupação de mostrar a tecnologia de uma forma que as pessoas conseguissem captar a mensagem e se identificassem com o enredo. Para isso, o carnavalesco criou o ROXP4, um robozinho de brinquedo que era a companhia preferida de uma criança que, com o passar do tempo foi o deixando de lado. Durante esse período de esquecimento, o ROXP4 encontra um livro chamado ‘Tempos Modernos’ e nele embarca em uma viagem passando pela história das quatros revoluções industriais que o Brasil passou para entender todo esse processo da evolução técnica do homem.

“Acho que é esse legado que a Rosas de Ouro pretende mostrar: que a gente tem que se educar, evoluir e buscar novos meios pra poder fazer com que as futuras gerações consigam um futuro próspero”, comentou o carnavalesco. Confira o vídeo:

A apresentação de Tempos Modernos pela Rosas de Ouro no Sambódromo do Anhembi será sábado (22) e para acompanhar antes, durante ou depois do desfile, todas as experiências digitais criadas para este carnaval, basta baixar o aplicativo pela Play Store ou Apple Store gratuitamente.