A Loft, plataforma digital que utiliza a tecnologia para compra e venda de apartamentos, acaba de anunciar a arrecadação de US$ 175 milhões na sua terceira série de captação de recursos junto a investidores, a Series C. Vulcan Capital e Andreessen Horowitz colideraram a rodada, com a participação da QED Investors, Fifth Wall Ventures, Thrive Capital, Valor Capital, Monashees e outros. Com isso, a proptech se torna o décimo primeiro unicórnio brasileiro, empresa com valuation superior a US$1 bilhão.

A empresa está em operação a apenas 16 meses. Fundada em 2018 por um grupo de empreendedores em série e executivos experientes, incluindo os fundadores e co-CEOs Mate Pencz e Florian Hagenbuch, a Loft combina dados reais de transações com um modelo proprietário de machine learning, podendo precificar cada apartamento de acordo com sua particularidade, aumentando a liquidez e a transparência para compradores e vendedores.

“Nosso objetivo é reinventar a maneira que as pessoas se mudam, construindo um mercado de bens imobiliários cada vez mais focado no consumidor,” afirma Mate Pencz, fundador e co-CEO da Loft. “Nossa última rodada de captação, que inclui vários investidores anteriores e novos, mostra que os investidores em crescimento global reconhecem a enorme oportunidade de mercado imobiliário residencial na América Latina e em todos os mercados emergentes”, segue Pencz. “Além disso, isso reforça que estão confiantes na viabilidade a longo prazo e escalabilidade de nossa plataforma, habilitada por tecnologia para impulsionar transações imobiliárias de forma eficiente”, completa.

Desde a sua fundação, a Loft levantou capital de cerca de US$ 275 milhões de investidores anjo, como Max Levchin do PayPal, Joe Lonsdale da Palantir, Mike Krieger do Instagram e David Vélez da Nubank; investidores globais de capital de risco, como Vulcan Capital, Andreessen Horowitz, Fifth Wall Ventures, QED Investors e Thrive Capital; e fundos locais, como Monashees, Valor Capital e Canary. A Loft é o primeiro e único investimento da Vulcan Capital na América Latina e o primeiro e único investimento brasileiro para Andreessen Horowitz.

“O crescimento exponencial da Loft no ano passado reforça que há uma enorme necessidade de mais transparência e eficiência no setor imobiliário”, afirma Alex Rampell, sócio geral da Andreessen Horowitz. “Vemos a abordagem baseada em tecnologia da Loft como uma oportunidade de investimento significativa, particularmente em mercados emergentes em rápido crescimento, como a América Latina, e estamos entusiasmados em expandir nosso financiamento para ajudar a trazer a plataforma inovadora da empresa para mais mercados em toda a região”, completa.

Rafael Costa, sócio geral da Vulcan Capital, acrescenta: “a Loft está criando uma fonte consolidada de verdade sobre os preços de estoque e transação que tem, até agora, sido fundamentalmente ausente do mercado imobiliário na América Latina”, afirma. “Isto, junto com as ferramentas altamente exatas e inteligentes de precificação, está transformando a forma como as transações de bens imobiliários está acontecendo, além de promover uma experiência verdadeiramente incomparável para vendedores, corretores e compradores”, conclui.

A Loft gerou mais de US$ 150 milhões em receitas considerando os números de dezembro anualizados é só em 2019 transacionou mais de mil apartamentos. A empresa planeja usar esta mais recente rodada de investimento para expandir tanto no Brasil quanto na América Latina, começando pelo Rio de Janeiro no primeiro trimestre de 2020, na Cidade do México no segundo trimestre e em várias outras cidades logo depois. A empresa também está expandindo sua operação para novas categorias de produtos e planeja a escalar suas linhas de produtos financeiros, incluindo hipotecas e seguros, ainda em 2020.

A empresa começou o ano de 2019 com 100 funcionários e cresceu para mais de 450, com planos de chegar a mais de 550 até o primeiro trimestre de 2020.