Aplicativo de sucesso é um aplicativo que consegue balancear de maneira inteligente suas estratégias de Aquisição, Retenção e Monetização de usuários. No artigo anterior falei sobre aquisição. Hoje vou falar sobre retenção.

Para entendermos a importância da retenção, vamos fazer uma rápida metáfora. Imagine que você pegou emprestado do banco 300 mil reais e abriu uma cafeteria em um shopping da sua cidade. Você contratou os melhores arquitetos e designers, comprou o melhor café e está empolgado.

Chegou o dia do lançamento, as pessoas vieram aos montes experimentar o café novo da cidade. Entretanto, seu ar condicionado quebrou e o ambiente começou a aquecer. As pessoas entravam, mas logo saíam, pois não aguentavam o calor. Todo o seu gasto em marketing para trazer novos clientes foi por água abaixo. E ainda, os clientes que visitaram o café talvez nunca mais voltem e nunca o recomendem.

De forma diferente, claro, isso acontece diariamente no mundo dos apps. O calor podemos substituir por uma tela de registro, um loading demorado, uma tela de compra mal planejada, etc.

Portanto, a retenção é o coração de um bom aplicativo. Apps lucrativos pensam em retenção: quando conseguem um novo download (uma nova aquisição) vão logo retendo esse novo usuário de todas as formas possíveis, o convencendo a utilizar o aplicativo e a abri-lo novamente.

Como os erros custam caro, vamos abordar os…

 

… 3 principais erros na retenção de usuários

1. Pedir para o usuário se registrar antes de qualquer coisa. No caso de você não ser uma marca poderosa como Facebook, Twitter, etc., pedir para que o usuário registre-se para só aí usufruir dos serviços do app pode custar caro. Metade, isso mesmo, 50% dos usuários desistem de usar um app se ele pede registro logo de cara.

2. Experiência falha (user experience), com formulários pequenos para preencher, botões pequenos demais, ergonomia ruim, carregamento demorado demais, enfim, tudo que prejudique a experiência do usuário deve ser levado em conta. Como evitar? Tenha profissionais experientes cuidando disso e faça muitos testes com amigos, parentes ou até empresas especializadas em testes.

3. Pedir para que o usuário pague no momento errado. Muitos apps são gratuitos, entretanto, em certo momento pedem para que o usuário compre novas funcionalidades ou libere mais conteúdo. Essa transição deve ser feita com extremo cuidado. Não adianta fazer um app com quase nada de funcionalidades e pedir para que o usuário compre o resto, isso não é estratégia Freemium, é sacanagem com os usuários e eles, além de saírem da aplicação, ainda irão fazer recomendação negativa. Péssimo para a startup.

Por fim, o recado que deixo é que ao menos evitem os erros acima. Uma ótima retenção vem com prática, tempo e testes, entretanto, os erros acima podem ser evitados facilmente.

Até o próximo artigo – sobre monetização!

Túlio Soria.
Desenvolvedor, professor, diretor, fundador e conselheiro em startups digitais, atual líder de produto na Appies, marketplace para desenvolvedores de aplicativos.

Imagem de abertura: Alexi Kostibas/Flickr(CC)