Estão abertas até o dia 7 de agosto as inscrições para o programa Start-Ed, organização pela Fundação Lemann. O projeto oferecerá apoio técnico e financeiro (R$ 20 mil) para o desenvolvimento de apps, softwares, games e outras ferramentas digitais de educação.

Na primeira edição do programa, terão prioridade projetos de produtos voltados para o ensino de língua portuguesa da educação infantil ao ensino médio, incluindo alfabetização, leitura e escrita. Leia aqui as instruções completas para os inscritos em potencial.

“As propostas podem ser apresentadas por pessoas físicas, empresas ou organizações sem fins lucrativos, representadas por uma equipe de até três pessoas. Serão selecionados até dez projetos para receber apoio financeiro no valor de R$20 mil cada e apoio técnico de várias formas”, diz a fundação.

Leia, em seguida, duas perguntas respondidas pela entidade:

Como funcionará o apoio?

Entre setembro e dezembro de 2013, os selecionados irão participar de seis encontros presenciais em São Paulo, com palestras, oficinas e discussões sobre temas como neurociências e aprendizado, design instrucional e desenvolvimento de software educacional. Os empreendedores receberão ainda orientação para pesquisa, prototipagem e teste do produto.

Os empreendedores selecionados também terão acesso a uma rede de contatos de escolas públicas, especialistas, governo e investidores para que possam se familiarizar com os diversos níveis de clientes, financiadores e reguladores, de maneira a compreender melhor o mercado de ferramentas educacionais inovadoras.

O aporte de R$20mil será oferecido em três parcelas segundo o cronograma de entregas de cada projeto, estabelecido em conjunto com a Fundação Lemann.

Em dezembro, os produtos apoiados pelo primeiro Start-Ed se apresentarão para uma comissão avaliadora e os projetos com potencial de impacto em escala poderão receber mais recursos e apoio para continuar seu desenvolvimento em 2014.

Porque estamos fazendo isso?

A Fundação Lemann acredita que soluções tecnológicas inovadoras, quando bem utilizadas dentro e fora da sala de aula, serão decisivas para ajudar a melhorar o aprendizado. Elas podem ser usadas por muitos estudantes ao mesmo tempo e conforme o ritmo de cada um, permitindo um grande ganho de escala e um ensino mais personalizado. Esses produtos possibilitam ainda que professores e gestores escolares tenham informações constantes sobre o progresso dos alunos, potencializando o planejamento de aulas e de intervenções pedagógicas.

Por isso, o objetivo do Start-Ed é iniciar o incentivo a projetos que sejam aplicáveis à realidade de alunos de escolas públicas brasileiras, para uso em sala de aula sob orientação dos professores ou para estudo complementar em casa. Outro objetivo é que os produtos desenvolvidos ou aprimorados com o apoio do programa possam ganhar escala, sendo acessível ao maior número de estudantes no Brasil e adaptável as mais diversas realidades de escolas no país.”