O Juris nasceu dentro da desenvolvedora de softwares Storm Factory e sai por US$ 8 (US$ 7,99, para quem quer ser mais exato) para acompanhar processos judiciais pelo iPhone ou pelo iPad. “É tanto uma ferramenta para o advogado quanto para o estudante de direito, mas também serve como acesso mais simples para quem está menos familiarizado com o acompanhamento processual”, explica Luiz Evaldo, sócio da Storm ao lado de Jeferson Fontinele, Danilo Carvalho e João Terto.

Para os que precisam acompanhar processos na justiça, o aplicativo permite cadastrar um processo e receber notificações sempre que houver alguma movimentação. Segundo a companhia, o app armazena as últimas cinco movimentações, para dar referência ao usuário.

Aqui, você pode conferir uma lista dos tribunais de cada Estado que têm suporte dentro do app. Segundo Evaldo, dois sócios estão em viagem conversando com os tribunais que ainda não têm dados disponíveis no Juris.

A necessidade de ter um processo na mão surgiu justamente dentro de uma empresa fundada por dois advogados, ao lado de um amigo administrador e um da área de informática. Eles criaram a Storm Factory em 2011, sem apoio externo de investidores.

Foto: Joe Gratz