Ditado da vovó: Prevenir é melhor que remediar. Para popularizar a saúde preventiva, a startup brasileira Vitalbox criou um algoritmo que calcula o risco individual de doenças cardíacas, vasculares, diabetes e outros problemas crônicos. Para isso, eles dizem usar tecnologias desenvolvidas por universidades como Duke e Harvard, além de protocolos do Ministério da Saúde e do U.S. Preventive Services Task Force.

Os riscos são calculados a partir das informações inseridas pelo próprio usuário, que incluem frequência cardíaca, peso, pressão arterial, perfil das atividades físicas e padrão alimentar. “Após o preenchimento dos dados, a plataforma gera uma avaliação personalizada de riscos à saúde chamada de Saudômetro, que calcula a chance de desenvolvimento de quadros crônicos e estabelece metas de melhoria”, diz comunicado divulgado pela startup.

Para ter acesso ao seu Saudômetro, o usuário final não precisará pagar nada se se encaixar em uma das duas modalidades de contratação propostas pela empresa. Na primeira delas, companhias podem patrocinar o uso do produto por pessoas físicas e, na segunda, empregadores ou seguradoras pagam para seus funcionários ou segurados. Há também a opção de o próprio usuário final fazer a assinatura de um pacote.

A Vitalbox foi lançada por ex-executivos da SAP em novembro de 2012, com investimento inicial de R$ 4,5 milhões e após dois anos de desenvolvimento em parceria com a empresa Biosignia. Comunicado divulgado afirma que já foi fechada uma parceria de patrocínio com a farmacêutica Boehringer-Ingelheim.

Foto: kaniths/Flickr (Acesse o original)