Está bonito de ver a transformação do mercado de venda de passagens rodoviárias. De patinho feio sem apelo no mundo digital, ele se transformou em uma grande oportunidade que pode gerar milhões a quem conseguir se consolidar. Já falamos aqui da Netviagem e da Brasil By Bus, e hoje trago a vocês a história da Embarcou.com.

A empresa foi criada por três amigos cariocas e o lançamento aconteceu em em outubro de 2012. “Dois dos sócios já prestavam serviços na área de tecnologia para empresas rodoviárias e observamos que existiam lacunas de oportunidade no mercado que se encaixavam na expertise dos três”, conta Henrique Rangel, que criou a Embarcou.com ao lado de Luis Gomes e Ygor Fonseca.

O período inicial de desenvolvimento da startup foi um pouco inusitado, já que Luis e Ygor estavam nos Estados Unidos, “aprimorando técnicas e processos para a empresa”, segundo Henrique.

“Por a gente já se conhecer e saber que existia uma sinergia com a nossa ideia, o trabalho, mesmo remoto, foi bem fluido. A gente tinha horários estipulados de trabalho durante o dia, mesmo com o fuso horário, e fazíamos várias conferências”, explica o sócio. Henrique e Luis também já haviam criado uma outra startup anteriormente, em 2006.

Com o fim da distância, os três sócios estão se dedicando em tempo integral ao projeto, com a ajuda de três funcionários. Diante dos outros players do mercado, Henrique diz que a Embarcou.com se diferencia ao “fazer inovações diárias no site, baseadas nas métricas de experiência do usuário”. Além disso, ele afirma que a startup foi a primeira a oferecer a opção de pagamento das passagens com o uso de boleto bancário. “Também temos um diferencial no atendimento, já que criamos uma ferramenta para que o usuário faça o cancelamento da passagem de maneira automática, sem precisar passar por atendente.”

A Embarcou.com foi aberta com capital próprio dos sócios e eles afirmam já ter vendido mais de R$ 5,6 milhões* em passagens –esse é o valor total das vendas, e não a comissão que é encaminhada para a companhia. Esse valor representa a comercialização de 65 mil passagens.

Foto: Francisco Martins

*O valor foi corrigido, por erro meu.