Quando Pedro Góes, estudante de engenharia da USP São Carlos, me contou sobre o Garça, logo pensei: é o fim dos garçons! Mas ele jura que não. Por meio do sistema criado por Pedro e Nivaldo Bondança, também estudante da USP, os usuários podem chegar ao restaurante e fazer o pedido direto no celular ou tablet. “Ai, o garçom vai se tornar um profissional mais qualificado, ele vai poder indicar produtos específicos de acordo com o gosto do cliente, por exemplo”, afirma Pedro. O tempo dirá.

O Garça já está sendo usado em três restaurantes da cidade de São Carlos e um de São Paulo –o aplicativo já está no ar para Android e iOS. O próximo experimento deve ser feito em Salvador, conta Pedro, que é natural da cidade. A startup usada pelos dois para desenvolver seus projetos, incluindo o Garça, se chama Estúdio Trilha.

No geral, o aplicativo deles me chamou atenção porque não se reduz aos setores de delivery ou reservas de mesas –estão borbulhando pelo mercado aplicativos assim. O Garça se enquadra mais no modelo B2B, sendo comercializado diretamente com os estabelecimentos. Por meio do sistema, é possível sim fazer as reservas das mesas, mas o cliente também pode dar opinião sobre o serviço da casa e abrir um chat com outros clientes.

Os meninos do Estúdio Trilha também têm outros projetinhos legais, voltados para outros estudantes. O Negócio Presente ajuda na administração de empresas júnior e o Método dos Mínimos Quadrados dá uma força para estudantes de engenharia, por exemplo. Leia sobre os outros projetos deles aqui.