A TV da sala da casa do brasileiro agora divide a atenção do seu telespectador com os smartphones e tablets do mercado. Nesse filão que se abre, as startups têm atuado em duas frentes: no preenchimento das telas com aplicativos e na análise da atuação dos telespectadores em redes sociais. Hoje, vou contar pra vocês um pouco da história de uma empresa que explora a segunda opção.

Trata-se da TTV, que fornece a emissoras de TV e anunciantes informações sobre o que e quanto está sendo dito sobre os programas no Twitter. “Revelamos o que as pessoas estão sentindo e isso abrange monitorar 95 canais e mais de 15 mil programas”, explica Helder Knidel, um dos sócios da companhia, que recebeu aporte da Astella Investimentos e tem cinco funcionários.

“Decidimos explorar o mercado de TV por perceber profundas e rápidas mudanças no comportamento das pessoas em relação ao que é interagir com TV hoje”, defende o sócio. Segundo ele, a ideia do serviço é causar impacto “no planejamento e compra de mídias por parte das agências, na programação por parte dos veículos e na avaliação do marketing por parte dos anunciantes”.

Helder afirma que um dos diferenciais do produto é “considerar somente posts no contexto da TV”. Na prática, isso quer dizer separar um post sobre a novela Avenida Brasil de um post relacionado a Avenida Brasil (enquanto rua de cidade). O sócio também diz que consegue saber qual canal tem maior participação em cada faixa horária. A startup afirma que já tem clientes, incluindo grandes agências de publicidade, mas não revela números ou nomes.

A TTV tem como um de seus grandes concorrentes a QualCanal, startup brasileira acelerada pela 500 Startups, no Vale do Silício.

Foto: Juraj Uher/Flickr (acesse o original)