Apresentado por Geraldo Santos e Cassio Spina, o Corporate Venture in Action! é uma série dedicada a transmitir muita informação prática sobre Transformação Digital, Inovação Aberta e Programas de CVC. A iniciativa do Startupi, em parceria com a ACE Cortex, conta com o patrocínio da Holding FCJ, a maior Venture Builder da América Latina. 

Como fazer uma Transformação Digital no segmento da saúde foi um dos questionamentos feitos ao entrevistado especial do Episódio#09, Rafael Tobara, Diretor Executivo de Digital, Inovação e Customer Experience do Grupo Elfa.  

Tobara está há nove meses liderando as estratégias digitais do Grupo Elfa, fundado em João Pessoa, Paraíba, e composto por 18 empresas responsáveis por fornecer produtos e serviços médicos hospitalares para toda a cadeia do sistema de saúde brasileiro, há mais de 30 anos. Sua missão como executivo de digital é trabalhar com a eficiência operacional do local e garantir o melhor Ebitda. “Falamos da digitalização de processos, inclusão de plataformas digitais, ampliação do ecossistema e sermos relacionados com uma marca inovadora, tudo para melhorar a Ebitda “, explicou durante o papo. 

Rafael Tobara – Grupo Elfa.

No episódio, o diretor mencionou a evolução do pensamento do mercado sobre as áreas de digital e inovação. Segundo ele, no passado elas eram vinculadas ao marketing e não eram vistas como segmentos que trariam resultados. Hoje, ele acredita que têm a mesma responsabilidade que a área comercial, por exemplo, para trazer lucro. Isso ocorre porque a área tem ferramentas que permitem conhecer seus clientes e criar mecanismos para atendê-los melhor, fidelizá-los e aumentar a rentabilidade da empresa. 

Rafael Tobara ainda compartilhou a sua visão sobre o futuro do setor da saúde. “O segmento é muito grande, para não dizer que é um dos maiores, considerando a capital que temos para inovar. Quando falamos de futuro, eu vejo que vai ter uma mudança de jogo e vai ser muito parecido com o Open Banking, do segmento financeiro”.  

Tobara explicou que no Open Banking, o cliente é dono de sua informação e ele consegue muito facilmente mudar entre bancos. No setor de saúde, disse que ocorrerá um “Open Health”, onde o paciente será o dono da sua informação e vai aumentar o nível de concorrência de planos de saúde, hospitais e clínicas. 

Segundo ele, outro ponto de evolução para o setor ligado à distribuição e serviços, é a prevenção de doenças, principalmente com o aumento dos sensores em aparelhos eletrônicos, que facilitam as informações de batimentos cardíacos, sono, entre outros. “Vamos falar para o nosso hospital cliente que, baseado no que ele precisa de forma preventiva, vou alimentar seu leito, sem ruptura, assim ele pode fazer o que faz de melhor, que é cuidar das pessoas”, afirmou. 

O diretor complementou sua resposta dizendo que para crescer no mercado e ser pioneiro, é preciso se antecipar a todas as mudanças e evolução do segmento de saúde. “Esse vai ser nosso grande diferencial perante ao mercado e nossos clientes. A gente tende a melhorar a experiência dos nossos clientes com o uso de tecnologia e novos modelos desse serviço”.

Ao final da conversa, Tobara ainda mencionou que é muito importante que os executivos invistam suas economias de pessoa física em startups, para aprenderem sobre o dia a dia delas e entenderem os riscos que uma empresa em desenvolvimento passa. Assim, eles irão ampliar suas perspectivas e saberão falar com o time todo, serão mais ágeis na inovação e criação de cultura e terão uma visão muito melhor do ecossistema. 

Ele ainda mencionou duas das estratégias que mais aprecia para o processo de transformação digital de uma companhia: o programa intraempreendedor, que faz com que os colaboradores da ponta, que têm mais contato com o cliente, sejam empreendedores dentro da empresa, para ajudar no desenvolvimento e mudança dela; e os programas de skill ups, que consistem em trazer startups para dentro da empresa, ajudá-las com mentorias, fazer investimentos e escutá-las para aprender mais. “O Grupo Elfa tem como objetivo participar cada vez mais do ecossistema de startups, inclusive poder ter um bolsão de orçamento para ser mais ágil nos investimentos”, finalizou.

Confira abaixo o Episódio na íntegra:

Ouça também o Podcast:


No próximo programa (07/outubro), o bate-papo será com Paulo Justino, Fundador e CEO da FCJ Venture Builder. Clique aqui e garanta sua vaga!