* Por Felipe Caezar

Imagine que você está com fome e deseja sair para comer algo. Ao abrir o mapa em seu celular, você digita “hamburgueria” na barra de busca e, de repente, vários resultados aparecem nas proximidades. Como essas recomendações chegaram até você, afinal? Ora, essa é uma resposta muito óbvia. Utilizando-se da sua localização em tempo real, é claro! 

Já parou para pensar no quanto somos dependentes desse tipo de sistema? 

Diariamente, usamos diversos mapas e aplicativos para encontrar lojas e estabelecimentos, traçar rotas para veículos, solicitar transportes particulares, fazer pedidos por delivery e muitas outras solicitações por meio desse recurso tecnológico.

Sistemas como estes concedem informações valiosas para corporações de todos os segmentos. O que elas fazem com esses recursos? Por um lado, prometem fornecer cálculos de rotas e notícias de trânsito. Por outro, reconhecem, nos trajetos diários, dados sobre onde os usuários moram, os lugares que frequentam e até mesmo os seus hábitos de consumo. Todos esses dados são identificáveis através do que chamamos “geolocalização”.

Mas o que é a geolocalização?

É um recurso utilizado para determinar a localização precisa de qualquer aparelho eletrônico conectado a uma rede, seja ela GPS, antenas telefônicas, GMS (via radiofrequência) ou wireless (através de redes wi-fi). Considerando que cada um desses aparelhos pertence a um indivíduo, temos em consequência um constante monitoramento dos trajetos de bilhões de pessoas pelo mundo.

Hoje, a geolocalização é a base de muitos serviços on-line que compõem parte da nossa rotina. Sem ela, aplicativos como o Uber, Waze, IFood e até mesmo games como o Pokémon Go não seriam possíveis. Esses aplicativos coletam informações sobre hábitos e comportamentos e traduzem em melhorias para a experiência do usuário, além de oferecer diferenciais exclusivos segundo a sua localidade (já se encontrou recebendo promoções especiais daquela lanchonete perto de casa?). As possibilidades são infinitas! 

Com o avanço do gerenciamento de dados, os sistemas de geolocalização tendem a se tornar mais avançados e assertivos. Para muitas empresas, esses dados podem (e devem!) ser utilizados como norteadores do negócio, auxiliando na tomada de decisão e consequente aplicação de novas estratégias.

Quais os benefícios, na prática?

Vamos retornar ao exemplo da hamburgueria. Considere-se, agora, como o dono desse negócio. Imagine o quão vantajoso seria entender (quase) perfeitamente quem são e onde residem os seus clientes e a, partir disso, traçar estratégias para oferecer ofertas apropriadas conforme a sua localização. O geomarketing, abordagem oriunda da geolocalização, é a base de muitas campanhas de marketing digital que tem como foco o alcance de clientes locais. Usando essas informações, empresas de todos os tamanhos garantem uma maior compreensão de aspectos, como: endereço dos clientes; distância entre eles e seu negócio; rotas preferíveis e meios de transporte mais utilizados,locais os quais preferem frequentar ou evitar; lojas e estabelecimentos que costumam comprar; e hábitos e preferências de consumo.

Com base nesses dados, empresas conseguem tomar medidas direcionadas para obter mais retorno. Essas ações variam muito segundo o objetivo da organização, mas são extremamente efetivas quando baseadas em informações reais e verdadeiramente utilizáveis. Entre elas, temos: aparecer nas imediações de busca de qualquer usuário que pesquisar por palavras-chaves relacionadas ao seu negócio e locação de pontos de venda e filiais em endereços mais frequentados pelos clientes e/ou de acordo com as suas principais dores relacionadas ao deslocamento.

É importante entender o melhor momento e a melhor abordagem dependendo do histórico de visitas daquele cliente ao seu ponto de venda e, principalmente, verificar quem são os principais concorrentes, atraindo o seu público para campanhas de marketing digital e ações sociais, delimitando o alcance destas com base na localização daquele cliente ou potencial cliente. 

Independente do ramo ou tamanho da empresa, todas estão procurando um maior entendimento dos hábitos do seu público. A geolocalização é apenas uma das inúmeras ferramentas provenientes do avanço tecnológico, utilizadas no mercado na sua totalidade. Ignorar essa estratégia pode ser uma decisão arriscada ao considerar que o seu concorrente já está se adequando a ela.

Como ter acesso aos dados de geolocalização?

Os relatórios oriundos de geolocalização são normalmente obtidos através de plataformas especializadas que gerenciam essas métricas e apresentam de forma estratégica para auxiliar no poder de escolha. Portanto, busque contratar serviços de uma empresa que ofereça um acompanhamento aprofundado dessas informações, assim a sua marca constará em centenas de mapas e listas na internet, minando dados de valor para auxiliar seu negócio local a crescer ainda mais.


* Felipe Caezar é CEO da HubLocal.