A KPTL, gestora de fundos de venture capital, anunciou a venda da Viridis Energy, uma das 48 empresas de seu portfólio, para o SMS Group, corporação alemã com atuação em várias verticais da indústria, que também adquiriu participação na Vetta, empresa que deu origem à Viridis. O valor da transação não foi revelado.

Fundada em 2013 em Belo Horizonte (MG), a Viridis Energy é uma startup especializada em soluções de controle e gestão de energia e utilidades para indústrias energo-intensivas (com gastos anuais com a matriz energética superiores a R$ 75 milhões). Seus principais clientes são unidades industriais dos mais diversos setores de produção. Seus sistemas inteligentes identificam como energia está sendo consumida e o algoritmo do software aponta onde existem oportunidades de ganhos de eficiência. Estima-se que a economia varia de 3% a 5%, o que é algo muito significativo em se tratando de grandes volumes de eletricidade.

A Viridis se confirmou como uma grande decisão de investimento da KPTL, que tem o BNDES como principal cotista em alguns de seus fundos. O histórico revela que a decisão de aplicar na empresa foi correta e num ciclo de 3 anos está obtendo um retorno de cerca de 3 vezes sobre o valor investido. Ou seja, entre março de 2017 e fevereiro de 2020, a KPTL conseguiu uma taxa interna de retorno (TIR) de 80,5%.

Para Bruno Profeta, head do fundo Inseed Fima, a Viridis construiu um sistema robusto e integrado, que ao utilizar seus algoritmos proprietários consegue aliar visão de eficiência energética e produtividade, com uma entrega clara de valor ao cliente. “Recebemos uma boa proposta, que valorizou o ativo tecnológico construído nos últimos anos, o produto e a equipe da Viridis. Ainda temos mais 3 anos de fundo, em tese poderíamos ficar até 2022, mas entendemos que esta era uma proposta que fazia sentido para o fundo e para os empreendedores. Completamos um ciclo de valorização da companhia e agora deixamos nas mãos dos empreendedores e da SMS para darem sequência nessa história”, explica Profeta.

“O papel da KPTL foi fundamental para garantir os recursos que a Viridis precisava para crescer em um dos momentos mais desafiadores da história da indústria brasileira. Em complemento ao aporte financeiro, a KPTL nos apoiou na gestão da empresa e abriu portas no mercado, e mesmo com tantos desafios trazidos pela conjuntura, conseguimos crescer e construir um negócio de sucesso”, afirma Thiago Maia, fundador e CEO da Viridis. Em dezembro de 2019, a Inseed e A5 se fundiram dando origem à KPTL.