Parece que nada consegue parar o Uber. O aplicativo acaba de receber um novo aporte da LetterOne (L1) , fundo de investimento internacional liderado pelo bilionário russo Mikhail Fridman. O valor do aporte, considerado estratégico, foi de US$ 200 milhões e tem como objetivo impulsionar ainda mais o produto para os países emergentes.

Em anúncio oficial, Fridman se mostrou muito animado com essa parceria estratégica. “Como empresários com experiência em varejo, bancos, telecomunicações e energia, e contando com o conhecimento de diversos mercados desenvolvidos e emergentes, acreditamos que a equipe de gestão altamente talentosa do Uber possui a visão e as habilidades necessárias para construir a empresa de tecnologia mais proeminentes do mundo”, comenta ele.

O Uber tem se esforçado para construir suas operações globalmente e em alguns casos, tem enfrentado os rivais regionais mais fortes em países como a China com o Didi Kuaidi e na Índia com a Ola. Mas ainda há muitos outros  mercados para enfrentar e esse novo financiamento parece chegar para reforçar as operações existentes, bem como fazer progressos em novos lugares, tais como a extensão mais ampla da Europa Oriental.

“Todos os dias milhares de pessoas dependem do Uber para ir de A para B. Centenas de motoristas usam nosso aplicativo para ganhar dinheiro”, disse Travis Kalanick , CEO do Uber , em um comunicado. “Nosso objetivo é simples, oferecer transporte confiável e acessível em todos os lugares e para todos, com o simples toque de um botão. O conhecimento da L1 nos mercados emergentes será fundamental para nos ajudar a tornar as cidades mais acessíveis, abrindo mais possibilidades para os usuários e mais oportunidades para os motoristas . ”

O Uber já levantou cerca de US$ 8,6 bilhões em investimentos anteriores a este. A empresa conta com uma longa lista de mais de 50 investidores divulgada até o momento.