Para ser empreendedor haja coração… fígado, rins, baço, cérebro, estômago e coluna também. Saúde é uma das áreas mais essenciais de qualquer sociedade e, portanto, startups que focam na área de saúde também são muito importantes.

Por isso, resolvemos destacar empresas apostando em inovação na área de saúde aqui na Startup&Makers da Campus Party. Conversamos com quatro delas e as apresentaremos em dois posts. Metade nesse aqui, confira:

OnLaboral

O que é: Um software de gestão e incentivo à ginástica laboral. Eles têm um sistema que, de tempos em tempos, mostra pequenas animações sugerindo aos funcionários praticarem determinadas atividades físicas no escritório.

O sistema conta com recursos de gamefication, que dão pontuações aos usuários que mais se exercitarem e se comprometerem com as atividades. Com isso, a empresa pode ter um acompanhamento detalhado de como seus funcionários estão se exercitando.

Como funciona: As atividades são propostas por uma pequena janela de notificações no computador. Quando o funcionário faz a ginástica, a webcam pode reconhecer seu movimento e validar o exercício.

Modelo de negócios: O sistema é vendido às empresas. Segundo Juliani Pavan, CEO da OnLaboral, o potencial do negócio é grande porque o segmento de medicina do trabalho continua a crescer e não há nenhuma outra plataforma que dê um pacote completo, com incentivos no computador, registro e análise das atividades, e recursos de gamefication.

Trajetória: A empresa foi fundada em 2008, mas o software só foi criado em 2011. Ela conta com sete funcionários, sendo que três deles são sócios. No momento eles estão trabalhando em bootstrapping e oferecendo o sistema a algumas multinacionais para validar o modelo. Após a fase de testes, em abril, a empresa deverá lançar comercialmente o software completo.

Reduk

reduk

O que é: Ferramenta que aproxima o médico de seus pacientes para acompanhar suas dietas e incentivá-los a seguir determinado programa alimentício.

Como funciona: O médico cria a dieta que determinado paciente necessita e a disponibiliza por um aplicativo web. O cliente recebe a dieta via mobile e faz check-ins sempre que se alimentar para que o profissional possa acompanhá-lo de perto.

Modelo de negócios: O médico paga para utilizar o sistema, o paciente não. O profissional pode contratar modelos mensais, anuais ou ainda adquirir a licença completa para o software.

Segundo David Correia da Silva, fundador da startup, o principal diferencial do sistema para outros concorrentes é o fato de eles darem ao médico a oportunidade de montar uma dieta personalizada para as necessidades do paciente. Além disso, eles não querem trabalhar apenas com nutricionistas, mas também outros médicos que precisem intervir na alimentação do paciente.

Trajetória: A empresa foi criada no último ano e conta com três funcionários. No momento, eles estão procurando alguém para exercer o cargo de CTO.

O sistema inteiro ainda está em desenvolvimento e eles deverão lançar um MVP em apenas três meses, quando, segundo Silva, a empresa deverá estar com seis funcionários.