O MEC (Ministério da Educação) lançou ontem o Banco de Propostas Inovadoras em Avaliação da Educação Básica, por meio do braço operacional da pasta, o Instituto de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), numa iniciativa que mira os alunos de escolas públicas brasileiras.

Essa nova plataforma de estudos on-line vai agregar conteúdo didático e simulados de avaliações da educação básica organizadas pelo Inep. O detalhe é que esse conteúdo inicialmente começa nas mãos de duas startups: a Geekie e a Meritt Informação Educacional.

No primeiro caso, a Geekie (que recentemente faturou o IBM SmartCamp, conforme contamos por aqui) vai atuar por meio do Geekie Games – rota de acesso ao Geekie Lab que, por sua vez, nada mais é do que uma plataforma online de aprendizado adaptativo que possibilita que todos os estudantes se preparem para o Enem por meio de ferramentas de diagnóstico e estudo personalizado. Os interessados podem realizar simulados das quatro áreas do Enem, identificando seus pontos fortes e fracos.

A Merrit atua com duas ferramentas: a primeira é o Portal Ideb, cujo intuito é facilitar o acesso às informações sobre o Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb). Além de entender como o indicador foi gerado, o portal mostra a apropriação dos respectivos resultados pelas escolas, municípios, estados e país.

Já o QEdu é um portal no qual o público encontra informações dos anos iniciais e finais, das redes públicas municipais e estaduais, sobre a qualidade do aprendizado em cada escola. Foi idealizado para fomentar um melhor uso das bases de microdados da Prova Brasil e do Censo Escolar.

Tanto a Geekie quanto a Merrit passaram pelo trabalho de aceleração do pessoal da Artemisia, que comemorou a iniciativa do MEC.

“O pioneirismo e a expertise da Artemisia, que há uma década se dedica a fomentar e acelerar negócios de alto impacto social, se consolida com o excelente desempenho de empresas inovadoras que têm contribuído para potencializar a geração de lucros de negócios que oferecem soluções para problemas da população de baixa renda”, declarou o diretor de desenvolvimento da aceleradora, Renato Kiyama, em comunicado.