Estudo recente do Banco Mundial (confira) constatou que o crowdfunding (financiamento coletivo via websites) é uma indúsitra bilionária: sozinho, o maior site de crowdfunding, o norte-americano Kickstarter, já movimentou mais de 815 milhões de Dólares. São mais 343 sites similares nos Estados Unidos, 87 no Reino Unido, 53 na França e 17 no Brasil.

Por aqui, conhecemos melhor Benfeitoria, Catarse (que lidera no Brasil, já tendo movimentado mais de 4,1 milhões de Dólares), Idea.me (6 países latinos), Impulso, Movere, Pontapés, Kolmea e a filial do americano WhenYouWish, mas poderíamos ainda citar Mineo (crowd-creation) e EuSócio (crowd-equity).

Agora, surgiu mais um site brasileiro, o Kickante. Também com foco em projetos culturais e de empreendedorismo, o site traz alguns diferenciais, como o parcelamento das contribuições (o projeto recebe de uma vez, mas o contribuidor pode parcelar no seu cartão). O site também oferece – da mesma forma que o WhenYouWish – a possibilidade da conclusão parcial dos projetos (mesmo que não recebam a meta total de contribuições, e caso os contribuidores concordem, o projeto recebe os valores parciais).

Conversei com a co-fundadora Candice Pascoal, que reside na Holanda e já trabalhou em Nova York (mais notadamente, como responsável pela expansão da gravadora e produtora Putumayo World Music). O irmão dela, Diogo Pascoal, é desenvolvedor e toca uma equipe a partir de São Paulo. Além dos co-fundadores e colaboradores, a plataforma conta ainda com dois investidores anjos de Nova York.

Confira a entrevista abaixo – depois a plataforma aqui. Vale destacar que, entre os projetos, encontram-se alguns de destaque, como a campanha de saúde do Instituto Chico Anysio, que busca contribuições para uma pesquisa sobre o enfisema pulmonar.