Colocar big data, sentimentos e redes sociais em um denominador comum, além de resolver essa equação, é a tarefa proposta pela Reglare. A empresa, que foi selecionada no programa Startup Brasil com bolsa de R$ 198 mil, terá aceleração na Wayra.

São duas vertentes de serviço oferecido em big data: a primeira é voltada para governos, a partir da criação de “salas de situação” para monitorar o que está sendo dito sobre serviços relativos à esfera estatal – como saúde, educação e os recentes protestos ocorridos aqui no Brasil.

A segunda se refere ao aumento de vendas no varejo. De que maneira isso é feito? “Existe todo um monitoramento do que está faltando na gôndola, de produtos que não estão dando certo, das performances da venda. Cruzo essa informação com o que está acontecendo fora da loja – chuva, por exemplo – em um movimento de search data”, conforme me explicou o cofundador da empresa, Luiz Wolf.

Produtos similares existem no mercado, mas o grande diferencial que a Reglare fornece, segundo o próprio fundador, é o idioma. “Falamos português, nos especializamos nos sentimentos dos brasileiros. Além de mostrar o problema, o produto executa ações, tomando decisões a partir do que é coletado nos dados”, observa ele. “Grandes players fazem isso, mas nosso preço é bem mais competitivo e adequado.”

A abordagem instantânea dos dados, que dá mais margem para a ação rápida no caso de uma hipotética insatisfação dos clientes, é o que diferencia o produto, segundo Wolf. “O produto tem a capacidade de cruzar os dados da empresa e os dados da internet de maneira imediata, o que dá uma resposta mais ampla para aa tomada de decisões”, indica.

Além de Wolf, que é responsável pelo desenvolvimento de produto e pela parte comercial, fazem parte da sociedade Helio Katanosaka (administrativo, engenharia de regras e relacionamento com o cliente), José Fernando Borges (arquitetura técnica das duas vertentes do produto) e Leandro Oliveira, responsável pelos algoritmos da arquitetura do sistema. O entrosamento entre os sócios é grande, uma vez que eles já se conheciam de outras empresas em que trabalhavam. De São Paulo, a empresa tem oito funcionários e atuação nacional.