A enxurrada de reclamações sobre a qualidade do sinal de operadoras é caudalosa – ora some o 3G, ora o aparelho fica completamente sem sinal – e um problema cada vez mais recorrente para os assinantes.

Foi pensando nisso que o pessoal da CrowdMobi criou um aplicativo para Android e iPhone que mapeia os serviços das operadoras móveis e dá um termômetro sobre a qualidade das operadoras por região de acesso. Isso é feito a partir da experiência do usuário, em uma avaliação da ligação entre zero e cinco estrelas.

“Em dados, analisamos a situação, não sobre o que está sendo trafegado, mas a velocidade em que está sendo trafegado – sobre taxa de download, velocidade de dados”, segundo me explicou o cofundador Leandro Neves por Skype.

Por condensar esse serviço de big data tão incrível – e tão necessário – a Crowdmobi foi escolhida como uma das vencedoras no Rio Info 2013.

“Claro que o app serve para mostrar as áreas de sombra para as operadoras”, disse Neves, “mas é, fundamentalmente, voltado para os usuários dessas operadoras. A ideia é mapear a qualidade das operadoras e saber qual é a melhor entre elas”, diz ele.

A versão para Android já tem um módulo de controle de conta, pelo qual o usuário monitora os custos e gastos com o celular, a fim de notar cobranças indevidas – o serviço deve chegar ao iPhone em breve.

Existem outros recursos, como projetar o sinal de uma localidade para a qual o usuário vai viajar. “A ideia é que a gente crie um Waze para a telefonia”, declara o cofundador. Mas, segundo ele me conta, a privacidade dos usuários é respeitada. “Só analisamos o tráfego de dados e de voz”, assegura.

Para os usuários comuns, o aplicativo é grátis – a rentabilização, de acordo com ele, virá com os clientes corporativos, que terão uma ferramenta de controle que chegou a reduzir os custos de dados e de voz em telefones corporativos em 12% em um case da CrowdMobi. “Nossa meta é reduzir esses custos entre 10% e 20%”, garante Neves. Hoje, a plataforma tem 10 mil usuários ativos.

Eles já tiveram um aporte de um grupo de oito investidores-anjo associados ao pessoal da Anjos do Brasil.

Além de Neves, responsável pela parte de telecomunicação e de banco de dados, os sócios são Daniel Amaral (programação do app), Bruno Amaral (branding e design), e dois colaboradores diretos em Maceió, capital alagoana. Os serviços do app, no entanto, podem ser acessados em qualquer parte do mundo.