Quando Othamar Gama Filho percebeu que a sua empresa tinha crescido tanto que ele não conhecia mais todos os seus funcionários pessoalmente, ele ficou preocupado. “Senti que estava perdendo essa liberdade de saber o que cada um pensa da empresa. A única informação que eu tinha vinha dos meus gerentes, com o filtro deles. Isso acaba impedindo que os gestores tenham um feedback da empresa como um todo”, conta Othamar, que criou a Talent Sentiment para solucionar o problema.

O software funciona como uma espécie de comunidade online da qual os funcionários fazem parte anonimamente, expressando o que estão sentindo sobre a companhia em um determinado momento. “Qualquer pessoa que tenha um e-mail corporativo cria uma conta e já pode começar a votar e escrever”, diz o CEO, que afirma garantir o caráter anônimo das opiniões emitidas.

Na versão gratuita do sistema, são avaliadas oito dimensões da companhia, incluindo satisfação com a vaga, com o gestor, com a infraestrutura e com a diretoria. O produto funciona na web e no aplicativo, mas Othamar vê um destaque no uso mobile do serviço.

Talent Sentiment Mobile View

Segundo o CEO, na versão premium, o gestor poderá fazer perguntas mais focadas sobre questões da empresa e enviar uma notificação ao funcionário. Othamar explica que são uma ou duas perguntas, pequenas, para que não se perca a experiência simples e rápida. “É para você sentir o pulso da empresa naquele momento.”

O Talent Sentiment, que será lançado oficialmente em setembro, tem como público alvo as empresas com mais de cem funcionários. Por enquanto, o produto está sendo testado dentro de empresas escolhidas.

Othamar conta que largou sua ocupação como CEO da Recruiters Brasil para cuidar integralmente do Talent Sentiment. Apesar disso, ele segue no conselho da companhia e a startup tem a Recruiters como uma de suas investidoras. A Talent Sentiment tem quatro funcionários, que se dividem em escritórios em São Paulo e João Pessoa.