Pior do que lidar com atraso em entrega de uma encomenda é não ter nenhuma informação sobre onde ela está. Criada em agosto de 2012, a Shipfy quer ajudar o varejista a manter o consumidor informado sobre o andamento de seus pacotes –para isso, eles integram ao seu sistema mais de 524 transporadoras.

Por meio da plataforma da startup, o cliente e o vendedor são avisados sobre o estágio do pedido feito pela internet. As entregas são monitoradas continuamente por meio da consulta do código de rastreamento de transportadoras que incluem os Correios, o Fedex e a UPS. Segundo a companhia, cerca de 600 lojas já usam a tecnologia e 10 mil encomendas foram rastreadas (dados de março deste ano).

A Shipfy começou em 2012, criada por e com investimento próprio de Mário Lins, Michel Kommers e Rafael Ruppel. O projeto se inscreveu no “Sua ideia vale um milhão”, do Buscapé, e ficou no grupo dos quatro selecionados para receber sessões de mentoria no programa. Esse período causou um impacto na empresa, que decidiu focar seu trabalho no mercado de lojistas virtuais de pequeno e médio porte e com pouca retaguarda de sistemas de informação.

Para os próximos 12 meses, eles pretendem integrar a ferramenta com serviços de e-commerce como o Mercado Libre e o Magento, além de softwares especializados em pré e pós venda.

No Facebook da Shipfy, a equipe de fundadores divulgou uma palestra interessante, de pouco mais de 30 minutos, com um profissional do Walmart falando sobre o impacto de cada etapa do ciclo de compra. Achei legal compartilhar com vocês:

Foto: Louish Pixel