O ensino à distância (EAD, para os íntimos) pode ser uma ferramenta interessante para empresas que precisam capacitar suas equipes de vendas e clientes. Cientes disso, os criadores da EadBox, startup do programa Start-Up Brasil, anunciaram o lançamento de um produto especificamente para esse tipo de uso.

Conversei com Nilson Filatieri, um dos fundadores da companhia, e ele me disse que o serviço já está sendo usado por duas grandes empresas, a Reckitt Benckiser e a Audatex.

Confira a minha entrevista com o Nilson:

De onde surgiu a ideia de abrir o EadBox para colaboradores de empresas? Essa necessidade veio dos clientes ou de vocês?

Lançar uma plataforma para treinamento de colaboradores já estava em nosso planejamento, entretanto queríamos identificar as demandas deste mercado que não estavam sendo atendidas pelos concorrentes, em seguida criarmos um produto bem diferenciado. Por isso iniciamos um trabalho para formação de parcerias estratégicas com consultores experientes e empresas que tinham uma boa entrada no segmento de educação corporativa. Estas parcerias resultaram em projetos bem consistentes em duas grandes empresas, e mais alguns sendo iniciados neste momento.

Identificamos quatro situações que se transformaram em diferenciais da Eadbox. Por exemplo, a  possibilidade integração com outros sistemas, como Salesforce, SAP, entre outros; a criação rápida de cursos, com a Eadbox os especialistas das empresas poderiam criar seus cursos em menos de 5 minutos, utilizando múltiplos formatos de conteúdo (vídeo, pdf, doc, apresentações, animações), até mesmo aula ao vivo, e por fim, a possibilidade de a empresa usar a plataforma para treinar clientes na mesma plataforma, muito usado para reduzir custos de vendas consultivas.

Como foi o fechamento desses dois clientes antes mesmo do lançamento do produto?

Por meio de parceiros, passamos alguns meses investindo em parcerias estratégicas com consultores e empresas. A empresa e o produto já existiam neste momento, então quando apresentávamos o produto apenas falávamos que ele ainda não estava disponível no site.

Neste caso tivemos dois ciclos, o primeiro foi o de formação de parcerias, o segundo foi o de fechamento nas empresas clientes. Valeu a pena, as parcerias comerciais funcionam bem para empresas como a nossa, que investem o próprio fluxo de caixa no negócio e que não estejam operando com dinheiro de investimento. Além de conseguirmos gerar valor para toda a rede envolvida no negócio.

O lance é costurar muito bem as parcerias, e ter e ser um bom parceiro.

Vocês receberão o dinheiro do Start-Up Brasil. A ideia é aplicar ele nesta ideia também? Existe algum outro plano futuro da empresa onde essa verba será aplicada?

Exato, vamos aplicar no desenvolvimento das duas linhas de produto, principalmente no lançamento dos aplicativos para iOS e Android para os clientes Eadbox. Além disso, vamos aumentar consideravelmente o investimento em marketing e vendas, e lançar novos serviços para capitalizar sobre as sinergias que foram criadas entre vários parceiros e clientes.

Mais do EadBox no Startupi: