Outro empreendedor que nos escreve contando sua história é o Lúcio Ribeiro, de Recife. Ele e seus dois sócios criaram uma empresa que mistura engenharias diversas para aplicar em TICs para oferecer monitoramento e localização. Uma das soluções que eles desenvolveram em 2010 foi o “encontrador de vagas” Estacione.

Incubados no C.A.I.S. do Porto (incubadora do Porto Digital), eles acabam de lançar o Retriever, um sistema que permite aumentar a eficiência e reduzir os custos com a logística de equipamentos de valor agregado nos hospitais.

Atualização: O Lúcio me corrigiu – “a gente não lançou o produtos ainda. Temos uma prova de conceito e estamos buscando um hospital para desenvolver um piloto em conjunto”. Ah, tá!

Vejam o que ele nos conta:

Concebida por jovens profissionais da área de Tecnologia da Informação e Comunicação, a Beagle Tech alinha diferentes ramos da engenharia e diversas tecnologias para promover soluções em monitoramento e localização. Atualmente incubada no C.A.I.S. do Porto, iniciativa do Porto Digital, a Beagle Tech cria produtos que buscam melhorar a competitividade de seus parceiros e clientes, agregando valor a estes empreendimentos e fortalecendo o mercado pernambucano.

A equipe é formada por pós-graduandos em Tecnologia da Informação e Comunicação. Com histórico profissional em empresas como SECTEC, Itautec, Unisys e Alcatel-Lucent, membros da Beagle Tech trabalharam com importantes projetos como o E-Fisco (SEFAZ-PE) e o Librix (Itautec Linux), enfrentando os mais diversos desafios.

O Retriever busca solucionar as principais carências que cercam os processos de logística hospitalar: a falta de monitoramento, a morosidade na localização e o extravio de itens com alto valor agregado, através do monitoramento e identificação de equipamentos hospitalares e medicamentos. Além disso, os hospitais reduzirão despesas referentes à reposição e os funcionários desperdiçarão menos tempo procurando equipamentos fundamentais para suas atividades, podendo dedicar mais tempo aos pacientes.

O objetivo é proporcionar subsídios e condições para que os equipamentos hospitalares se movimentem da maneira mais rápida e eficaz possível; e dispondo dos insumos e/ou serviços hospitalares certos, no lugar correto, no momento adequado. Isso irá proporcionar confiabilidade ao usuário e conferir credibilidade ao hospital. Leia mais no blog da startup.

Imagens: Beagle Tech