A Receita Federal espera que pelo menos 24 milhões de contribuintes acertem as contas com o fisco em 2011. Quem não declarar dentro do período estabelecido, que vai até o dia 29 de abril, pagará uma multa no valor de R$ 165,74.

Acha difícil fazer? Afinal, há mais de cem formas diferentes de se preencher a declaração! Que tal pagar R$ 35,00 para contar com ajuda 100% especializada, online e automatizada?

O DeclareCerto é a plataforma virtual de uma empresa que soube enxergar e “empacotar” uma oportunidade, contando na sociedade com um player estabelecido – que, pelo seu lado, pratica inovação aberta ao adotar uma solução criada fora de seus domí­nios, que claramente combina e acrescenta valor ao seu portfolio. Daqui para baixo, o texto é de Mariana Spinelli, uma das fundadoras.

“A pessoa pode importar seus dados, tem uma navegação passo-a-passo com a visão do usuário, onde o mesmo não precisará saber de legislação e nem estudar o assunto antes de utilizar. Basta responder as perguntas e preencher os dados necessários do núcleo familiar. Depois rodamos uma simulação que analisa todos os cenários possíveis da declaração de um núcleo familiar, considerando todos os possíveis cenários e buscando o menor imposto pago para o núcleo.

Por exemplo: um casal sem dependentes pode declarar de 6 formas distintas, com um dependente comum sem renda aumenta para 10 e com dois, já são 18 formas. Se um dos dependentes tem rendimento, viram 38 e se um bem comum do casal é alugado, sobe para 102.

Cada item que impacta em mais imposto ou dedução gera mais uma grande quantidade de simulações. Depois o usuário, escolhe o cenário e pode ver como ficará no sistema da receita e exporta a declaração (ou as 2 declarações se, por acaso, o cenário escolhido indicar que casal deve declarar separado). A exportação é feita para um arquivo com o formato igual ao da receita. O usuário deve abri-lo no Programa da Receita e enviá-lo, Como ainda não temos parceria com a Receita Federal, não podemos enviar diretamente – como é normalmente feito nos outros países.

Este tipo de solução é um modelo de negócios bem consolidado em outros países, EUA, Inglaterra, India, Austrália. Nos Estados unidos, metade dos contribuintes, aproximadamente 30 milhões fazem suas declarações por softwares similares. O maior player dos EUA é o TurboTax, entretanto a indústria já é bem madura e tem diversos outros player grandes”.

Como tudo começou

“Nós somos pioneiros no Brasil. Começamos ano passado e tivemos apenas 4 meses desde a ideia até o go-live, só conseguimos terminar a solução para lançar no meio do ciclo, dia 01 de abril! Em um mês no ar, tivemos 200 mil visitas no site. Nosso vídeo de demonstração teve 18 mil views em apenas 20 dias.

Éramos 4 sócios, 3 engenheiros e 1 advogada tributária. Ao longo do ano, começamos procurar investidores, conversamos com alguns e acabei chegando no presidente da IOB, Gilberto Fishel, através do LinkedIn.

A IOB, maior empresa brasileira no ramo de informação fiscal, jurídica e tributária, já fomentava este mercado mas não tinha nenhum produto voltado para pessoa física. Em menos de dois meses, em dezembro de 2010, já tínhamos fechado o acordo e a IOB comprou parte da empresa. Eu e André Duarte nos mantivemos sócios e principais executivos da empresa. Convidamos mais um sócio de TI, Giulliano Bueno”.