Este post faz parte da série que o Instituto Empreender Endeavor organizou para esta semana, alinhando diversos blogueiros em torno do tema “cenário empreendedor no Brasil”.

Quero contextualizar o Dia Nacional da Micro e Pequena Empresa, comemorado hoje, e visualizar a importância do empreendedorismo para o desenvolvimento pessoal e nacional.

Concordo com o entusiasta de “lean startups” Eric Ries (de Startup Lessons Learned), quando diz que startup não tem a ver com o setor da empresa, nem quantidade de dinheiro, nem tempo de operação nem com o tamanho dela. Mas não nego que a maioria das startups são novas, pequenas e com pouco dinheiro, e isso é muito parecido com as micro e pequenas empresas (MPEs ou MEs).

A data foi instituída simbolicamente para comemorar o primeiro Estatuto Nacional da Microempresa e Empresa de Pequeno Porte, que entrou em vigor em 5 de outubro de 1999, atualmente regulamentado por lei complementar de 2006.

Alguns números:

  • As MPEs são responsáveis por mais de 54% dos empregos formais, conforme dados do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE);
  • pelos cálculos do Fundo Monetário Internacional (FMI) e da Organização Internacional do Trabalho (OIT), serão necessários mais 440 milhões de postos de trabalho até 2020.
  • mais de 32 milhões de trabalhadores brasileiros tinham carteira assinada em 2009, ou seja, 59,6% da população que estava empregada. O total revela a entrada de 483 mil trabalhadores na formalidade em 2009;
  • atualmente, o mundo tem 210 milhões de desempregados;
  • as MPEs são responsáveis por mais de 20% do Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro;
  • desde 2007, 2,7 milhões de empresas passaram a optar pelo Simples Nacional, estrutura fiscal adotada por 4 milhões de MPEs;
  • mais de 2,1 mil municípios já regulamentaram a Lei Geral da Micro e Pequena Empresa;
  • a regularização elevou a participação das MPEs no total de compras feitas pelos governos. O volume passou de R$ 2 bilhões por ano antes da aprovação da Lei Geral para R$ 14,6 bilhões em 2010.
  • a lei do Empreendedor Individual (EI), que vale desde julho de 2009, já fez 600 mil autônomos formalizarem seus negócios em todo o país. Em dezembro, aumenta a lista de trabalhadores que podem se beneficiar;
  • empresas estatais brasileiras terão orçamento recorde de R$ 107,5 bilhões para investir em 2011 – inclusive em serviços e produtos fornecidos por startups, ou MPEs;
  • o Brasil é o terceiro país no ranking da ONU de países prioritários para investimentos matéria ou PDF original;
  • o FMI informou que desde 2007, mais de 30 milhões de pessoas no mundo todo perderam seus empregos por causa da crise financeira internacional;
  • o Prêmio de Competitividade para Pequenas e Micro Empresas já está revelando as premiadas estaduais – em breve, as nacionais. Sim, empresas de software, sistemas e informática já chegaram a ser premiadas!

Fontes: Agência Sebrae de Notícias, Agência Brasil e Rádio ONU.

Recomendo ouvirem o podcast “O cenário do empreendedorismo tecnológico no Brasil“, em que tive o prazer de participar com o pessoal do Empreendecast, do Saia do Lugar e do ReadWriteWeb (que comemora hoje 1 ano de atuação – parabéns!). Leiam também o post do Eric Santos sobre a formação do empreendedor tecnológico.

Recomendo também, àqueles que puderem estar em São Paulo/SP, a participarem do bate-papo sobre “Rework” que rola às 19h no espaço de coworking Pto de Contato, no Jardins, com Bob Wollheim, Daniel Heise e convidados. Quem não puder, se liga nas palestras de quarta e quinta-feira (Bia Kunze e Silvio Meira).

Acompanhe a agenda da blogagem coletiva organizada pelo Endeavor:

Dia 04/10 -€“ Segunda-feira – Endeavor BrasilBlog do Empreendedor

Dia 05/10 -€“ Terça-feira – BizRevolutionStartupi Leo Kuba

Dia 06/10 -€“ Quarta-feira – ResultsOnSuper Empreendedores

Dia 07/10 – Quinta-feira – Miguel CavalcantiAtitude Brasil

Dia 08/10 – Sexta-feira – Saia do lugarBlog do empreendedor da Caixa