Lembram quando desconfiamos que 2010 é o ano do dinheiro estrangeiro nas startups brasileiras? Falávamos de aquisições de Naspers, HomeAway, WPP. Todos norte-americanos, salvo o Naspers Group, multinacional sediada na África do Sul.

Depois, noticiamos mais atividades brasileiras do fundo Atomico (do fundador do Skype), dos alemães Hommels e Jung e sobre o interesse que as startups brasileiras despertam na Suíça, na Holanda, na Bélgica, leste europeu e Ásia.

Recentemente, fomos contatados por mais investidores internacionais.

Fomos apresentados (pelo Júlio Vasconcelos, do Peixe Urbano) ao Matt Cohler, que foi um dos primeiros (e mais importantes) funcionários do LinkedIn e do Facebook e agora é investidor na Benchmark Capital. Ao encontrá-lo, percebi que ele já conhece várias startups brasileiras (ao menos, a distância), e que tem real interesse em identificar oportunidades de negócios que consiga ajudar a deslanchar – terminamos nosso cafezinho porque ele tinha encontro marcado com o CEO de uma bela startup mineira.

Depois, fomos contatados diretamente pelo Blake Bartlett, da Battery Ventures (fundo conhecido por ter investido no GroupOn, o pai de todos os sites de oferta diária). Eles estão procurando negócios já estabelecidos, lucrativos, de e-commerce, Internet e software em geral. Ele me revelou que está de olho no Startupi há um bom tempo e estará no Brasil em breve.

Terça e quarta-feira pude conhecer alguns investidores britânicos que vieram a São Paulo participar do evento UK-Brazil Cross Border Investment Opportunities, organizado pela Monique Shohet, dos fóruns de Venture Capital e Private Equity da FGV. Na foto de abertura do post, Ben Ferrari (um dos investidores britânicos, integrante da Imprimatur Capital) conversa dedicadamente com os empreendedores brasileiros da byMK – sobre caminhos de desenvolvimento para startups como a deles. O evento, co-promovido pela Centro Brasileiro Britânico, representa intenções declaradas de internacionalização comercial entre investidores de ambos países.

Público cada vez maior nos eventos sobre investimentos empreendedores

Ontem, a convite da agência Foreplay, encontrei Joseph Nejman, responsável pelo programa de incubação e aceleração da Tomorrow Ventures (fundada por Eric Shmidt, CEO do Google). Ele está interessado em conhecer startups de mí­dias digitais e entretenimento web para entender como funciona o mercado e como pode vir a ajudar.

E, claro, o interesse estrangeiro não para por aí­ – nem o dos investidores nacionais!