Segue uma entrevista não muito pequena, mas muito interessante com Thiago Lima, de Blumenau/SC. Profissional web há 12 anos, fundou a Doupler em 2007, empresa que lançou o Eventials em 2009 – um produto para gerenciamento online de público e conteúdo de eventos que conquistou aporte via Finep Prime.

Qual é o histórico dos principais profissionais envolvidos?

Eu, Thiago Lima, trabalho com desenvolvimento web desde 1998. Comecei minha carreira trabalhando em um portal focado no público jovem e depois de 3 anos fui contratado para trabalhar em uma agência de publicidade em SP. Fiquei 4 anos nessa agência onde tive a oportunidade de desenvolver projetos e campanhas web de vários portes e segmentos. Sou formado em Publicidade e Propaganda e tenho MBA pelo INPG, mas sempre programei, desde a época do colégio, fazendo mIRC Script e Bot para IRC. De 2005 até o final de 2006 resolvi me dedicar ao meu MBA, e trabalhei por 2 anos como free-lancer.

Em 2007 fundei a Doupler, uma empresa de TI com sede na cidade de Blumenau e cujo foco é outsourcing em desenvolvimento web para empresas que buscam lançar uma iniciativa on-line que aproveite o potencial da web como ferramenta de trabalho. Hoje a Doupler é a maior investidora da Eventials.

O Rodrigues Comandolli, co-fundador do Eventials, tem um background em user experience e gerenciamento de produto. Começou em 2003 na agência O.M,Loducca, em 2004 ingressou na AG2, onde ficou por 3 anos e saiu como gestor da equipe de Arquitetura de Informação. Ingressou no Terra Networks em 2007, onde passou pela equipe de UX, Produtos e Social Media e Mobile LATAM. Foi responsável pela criação e lançamento de novos produtos para o mercado americano e integrante do núcleo de inovação. Atualmente o Comandolli integra a equipe de UX da Globo.com, e além do Eventials presta consultoria para outras startups nacionais e internacionais.

Como tiveram a ideia de construir a Eventials? Quanto tempo faz?

A ideia surgiu em 2007 durante uma conversa com meu ex-sócio da Doupler sobre o mercado de eventos e internet. Ele era do mercado de eventos e tinha vivenciado na prática a dificuldade que é para um determinado evento conseguir atrair visitantes de regiões distantes da cidade onde o evento acontece. Na mesma proporção, os participantes de eventos também reclamavam da ausência de feiras fora do eixo Rio-SP.

Nessa mesma semana, nós assistimos à apresentação do Steve Jobs na Mac World (aquela onde ele lançou o iPhone). Ali realizamos que a web deve ser usada para compartilhar e acompanhar feiras e eventos. Ficou claro a necessidade de poder ter a experiência de um evento sem ter que perder horas viajando e com todos os custos que isso acarreta. Eventos para todos, de qualquer parte do mundo.

Como começaram a caminhar, planejar? Como foi o iní­cio?

O Eventials foi colocado inicialmente como um produto Doupler que eu sabia que não seria fácil executar. O estado de SC é reconhecidamente forte no seguimento de tecnologia da informação e não tive dificuldades de encontrar uma entidade que pudesse nos ajudar nesse início. Visitei pessoalmente a incubadora tecnológica do Instituto Gene, em Blumenau, para saber qual seria o processo para submeter uma ideia e conseguir apoio.

Para entrar na incubadora é preciso submeter um projeto inovador seguindo um questionário no site do próprio instituto. Também é preciso que haja vaga na incubadora. Um mês após submetermos a ideia nós fomos convidados a fazer uma apresentação do produto aos gestores da incubadora. O projeto foi aceito e a empresa incubada.

O começo foi muito complicado porque nós precisávamos de recursos para desenvolver a ideia e o apoio da incubadora não é financeiro. Não dava para focar somente no Eventials porque ele não gerava receita e a Doupler ainda era uma empresa nascente sem condições de alocar recursos. Decidi que deveria dividir meu tempo, trabalhando durante o dia somente com os projetos de clientes Doupler e a noite no Eventials.

Entre junho de 2007 até junho de 2008 trabalhamos principalmente na conceituação do produto e estudo da tecnologia. Desenvolvemos alguns protótipos e transmitimos eventos regionais da própria incubadora e de outras universidades. Em 2008 o Rodrigues Comandolli ingressou no Eventials e tivemos um avanço grande nas definições de produto e UX.

Em seguida fomos convidados pela Anprotec para a fazer a transmissão dos eventos da entidade na Semana Global de Empreendedorismo, da Endeavor. Foi uma experiência muito importante e que definiu uma série de funcionalidades que deverão ser lançadas com o projeto. Nessa época nós utilizávamos a marca KeynoteIn, que logo alteramos para Eventials.

Procuraram investidor? Procuraram parceiro?

Até agora não procuramos investidores privados, mas submetemos o projeto para outros programas da Finep, Sebrae e Fapesc. Em 2008 recebemos apoio de R$ 20.000,00 da Sociesc e estabelecemos parceria não financeira com a Microsoft através do programa BizSpark (Microsoft Sol).

Desde o início temos o apoio do Instituto Gene, administrador da incubadora. Por consequência disso, podemos dizer que contamos com o apoio da FURB (Fundação Universidade Regional de Blumenau), Prefeitura Municipal de Blumenau, Finep, Sebrae-SC e Fapesc. O apoio dessas entidades é fornecido na forma cursos de capacitação, mentoring, participação em eventos e feiras e também um espaço físico subsidiado.

Hoje já estamos prontos para a busca de investidores privados, e devemos iniciar o round de apresentações logo logo.

Como funciona o produto? B2B? B2C?

A experiência de um evento é muito mais que simplesmente um stream de vídeo. O Eventials acredita nisso e busca a melhor solução possível para gerenciamento, transmissão e participação de eventos on-line. As pessoas passarão a ter um lugar centralizado e organizado com os eventos que já participaram, reverem as apresentações, discussões e os contatos feitos nos eventos. Uma experiência que não se limita apenas ao consumo passivo do que será o evento, mas efetivamente participar, ao-vivo.

Organizadores e palestrantes de eventos terão uma série de ferramentas para realizar as apresentações, divulgar e montar tudo necessário para que o evento ocorra. Sempre convergindo com as ferramentas de compartilhamento e comunicação já existentes.

Seu segmento de atuação é tanto B2B quanto B2C. Organizadores e Palestrantes podem estender a rentabilidade dos eventos físicos, ou ainda criar eventos 100% virtuais e monetizá-los. Temos um longo caminho pela frente para colocar nossa visão de produto tangí­vel, porém estamos seguros de estar no caminho certo.

Como vem sendo a participação no Prime?

A participação no Prime tem sido fantástica, só temos elogios e agradecimentos a fazer às entidades envolvidas. Recebemos a primeira parcela no valor de R$ 60.000,00 na data prometida e agora, passado os primeiros 6 meses, iremos receber os outros R$ 60.000,00. Estamos investindo o recurso em consultoria de mercado, gestão e em dois profissionais sendo um deles gestor e o outro especialista técnico.

O que isso representa no Eventials? Já dá pra perceber alguma diferença na empresa, no produto?

Estão havendo mudanças significativas na empresa desde o primeiro mês que entramos no Prime. A gestão está mais profissional e eficiente e conseguimos isso através da implantação de ferramentas que foram sugeridas tanto pela consultoria de gestão quanto pelo gestor de negócios contratado.

A consultoria de mercado foi dividida em duas fases, sendo a primeira a realização de um diagnóstico sobre o setor de atuação e como o produto deverá se posicionar. A segunda fase é o planejamento estratégico do lançamento do produto, como isso será feito, quando será feito e como vamos mensurar os resultados. Contratamos o I-Group de São Paulo por todo o know-how deles no lançamento de projetos web de grande porte.

O Prime ajudou também no desenvolvimento do produto, que está mais rápido, pois uma parte do recurso nós destinamos para a contratação de outro desenvolvedor. Esse recurso nos permitiu contratar empresas e um gestor de primeira linha.

Quais são os desafios da Eventials? Como vocês acreditam que o Prime pode ajudar nisso?

Nosso maior desafio é manter o release plan definido, mesmo com as adversidades que só quem trabalha em uma startup as conhece. Temos uma versão Beta saindo do forno e essa é nossa maior prioridade agora. Hoje nosso time é composto por 6 pessoas que acreditam e se motivam com visão do produto.

O Prime vem para minimizar os obstáculos nesse estágio da empresa. Não dependemos apenas de apoios para seguir com o projeto e isso nos dá uma liberdade gerencial muito grande. Contar com o apoio das consultorias nesse momento permite que foquemos ao máximo no produto.

O próximo passo é buscar investimento para agilizar o desenvolvimento, não perder o time to market e manter a qualidade do que temos feito. Enfim, temos muitas madrugadas pela frente, mas estas valem a pena.

Siga o Twitter @Eventials, tem informações muito legais.