Cinco investimentos em startups de uma vez podem parecer bastante coisa, mas o fato é que a empresa de seed e venture capital Grid, cuja fundação foi em 2012, fez a escolha tranquila e paulatinamente entre os meses de janeiro e agosto.

Foram 140 avaliadas do Brasil e do mundo – três nacionais e duas de outros países foram contempladas.

Daniel Ibri, um dos cofundadores da Grid, me contou que as selecionadas têm produtos muitos distintos – mas características que levam a um denominador comum: a vontade de crescer e empreendedores absolutamente apaixonados pelo que fazem, sendo que o projeto não é apenas uma meta – é uma meta de vida. “Ele realmente quer fazer aquilo e acredita”, declara o executivo.

Cabe a menção de que o ideário da Grid não é apenas investir por investir, mas ajudar a startup a crescer, participando da gestão, contribuindo para o networking, dentre outros aspectos do universo de negócios.

Existe todo um conjunto de princípios filosóficos na Grid que Ibri fez questão de sublinhar: todos os investidores são pessoas físicas, capacitadas e dedicadas para ajudar no crescimento dessas empresas. “Temos o lado do investidor de formatar o negócio e internacionalizá-lo”, elucida.

O executivo não abre o valor total investido – só revela que as cinco startups tiveram um aporte entre R$ 300 mil e R$ 1 milhão, e as participações da Grid oscilam entre 20% a 45% dentro dessas empresas investidas. Saiba abaixo quem são elas.

Pagar.me: sistema brasileiro de pagamento on-line que fornece uma API simplificada de maneira que qualquer site possa receber pagamentos; os empreendedores têm 17 e 18 anos, idade impressionante na visão de Ibri

Plaay: plataforma gratuita para ouvir música por internet ou via aplicativos para iPhone ou Android; o sucesso desse modelo foi tanto que a startup já tem o patrocínio da Pepsi

Playground: aplicativo de entretenimento infantil para a faixa etária entre 6 e 10 anos. Roda em tablet, iPad, iPhone e vem pré-instalado em smart TVs. Há música, jogos e peças de teatro, com um diferencial de curadoria educacional sobre o material

Vestigen: tecnologia eslovaca de marcadores biológicos para diagnósticos rápidos por meio de nanochips que usam a cadeia de DNA, e cujos resultados poderão ser vistos pelo celular. Está em estágio de desenvolvimento avançado

Camargus: empresa belga tecnologia de captura e transmissão de imagens em máxima resolução que usa hardware e software próprios