Ontem foi 23 de abril, Dia Internacional do Livro (o nacional foi dia 19). Há exatamente 2 anos, Marcos Passos lançou, direto do seu quarto no interior do Rio de Janeiro, o site Bookess.com, mistura de editora com biblioteca, dotada de um inovador sistema de visualização de livros eletrônicos – destacado no Brasil (1, 2) e no exterior.

Um ano depois, Marcos conquistou quatro investidores, mudou-se para um polo tecnológico em Santa Catarina e montou uma equipe. “Queríamos pessoas jovens, proativas, com muita sede de informação e que brilhassem os olhos quando vissem o site”. Hoje, a Bookess tem 8 mil usuários, Marcos tem 20 anos, diz que tudo está melhor do que imaginava e anuncia novidades tecnológicas e comerciais.

Tudo começou quando a cultura oriental posicionou-se de vez na cultura pop mundial e Marcos virou fã de anime (desenhado animado) e mangá (revista em quadrinhos). Ele tinha 13 anos e programou um site sobre o assunto. Com 50mil acessos diários, tinha mais de 30 colaboradores e R$ 3 mil acumulados com a venda de propaganda. Um dia, ele foi viajar e esqueceu de levar o livro que estava lendo, e foi aí­ que começou a bolar um grande serviço de leitura de livros eletrônicos.

 

“Quando comecei, eu tinha uma visão distorcida, achava que iria comprar máquinas de imprimir livros e sairia vendendo pela internet”. Marcos explica que, no lançamento da Bookess, não havia a possibilidade de o usuário subir, carregar, fazer upload do arquivo do seu livro. Tinha de editar dentro do site, mas o editor não proporcionava uma qualidade boa para, por exemplo, imprimir em papel.

Com um ano de estrada, a chegada dos Floripa Angels, a instalação na incubadora MIDI Tecnológico em Florianópolis, veio o reforço na equipe e a possibilidade de planejar o produto. “Daí construímos a versão que está hoje no ar, integrada com Twitter”. Agora, mais um ano depois, o CEO de 20 anos já anunciou mais novidades.

Aniversário de 2 anos marca o lançamento de uma série de novidades

Em maio, os usuários poderão contar com um serviço de comércio eletrônico, um sistema e-commerce com o qual poderão vender seus livros, caso queiram (além da possibilidade atual de permitir visualização e download gratuitamente). Na sequência, serão ativadas as parcerias com editoras (digitais ou convencionais), por meio de páginas premium integradas com Facebook. Também entrará no ar logo após o e-commerce um sistema de embed de anúncio (veja imagem): o escritor poderá gerar automaticamente banners para divulgação dos seus livros em outros sites e blogs.

Mas o suprassumo será mesmo o novo visualizador de livros, que pude testar ontem. Fiquei muito impressionado, porque permite uma área de leitura muito maior e mais confortável, com uma velocidade de carregamento e zoom incrível. “Chamamos de pageflip infinito. Parece o Fastflip do Google, só que é bem mais rápido porque carrega 4 páginas de cada vez, sendo mais ágil”, explica Marcos, o programador empresário.