Acaba de entrar em beta o mobbbi que pretende ser “um guia para as coisas boas da vida“. O mobbbi na verdade é um serviço para colecionar e compartilhar dicas e informações sobre assuntos diversos. Os principais assuntos hoje disponíveis são beleza, comidas e bebidas, dinheiro, onde ir, produtos, saúde e viagens.

No mobbbi você pode ler dicas (mobs) enviadas por outros usuários e adicioná-las à sua coleção. Pode também criar mobs sobre algum assunto em que seja especialista e compartilhar com a multidão.

O visual do serviço me lembra de alguma forma o Flickr. Talvez sejam as fontes, talvez as cores ou a organização dos itens. De qualquer forma é agradável e fácil de usar. Como parte dos meus testes criei um mob sobre o eeePC 1000 que possuo. Leia aqui! Com base neste teste, fiquei pensando: “pô, eu poderia criar um blog ao invés de postar aqui”. Foi daí que perguntei ao Thiago Christof, um dos fundadores sobre isso e ele disse:

Blogs são fantásticos e o mobbbi não está aí para tentar substituí­-los. O mobbbi possui recursos que um blog não é capaz de oferecer facilmente como, por exemplo, a capacidade de relacionar dicas e usar inteligência artificial para direcionar dicas a pessoas com um determinado perfil. Queremos viabilizar o máximo de recursos para que os blogs e o mobbbi trabalhem em conjunto. Isso incluirá o lançamento de widgets bem bacanas.

Uma das coisas que notei é ainda a falta de uma interface móvel já que o nome do serviço sugere isso. O Thiago disse que uma versão mobile está em desenvolvimento já que uma das premissas do serviço é tornar todas essas informações disponíveis no seu celular também.

O mobbbi foi citado na revista ResultsON Startups de 2008 como um dos lançamentos mais esperados após apresentação do projeto no Campus Party do ano passado. A ideia está em desenvolvimento desde o final de 2007 e depois de extensivos testes em um alfa fechado, o lançamento o beta deve fazer o serviço crescer.

Por enquanto o Thiago e o Narciso Jr, seu sócio, trabalham sozinhos no esquema “bootstrapping“, ou seja, com investimento próprio. Mas não descartam a possibilidade de conseguir um investimento. Mas antes disso pretendem ter um mobbbi funcionando redondinho. O beta é um belo passo neste caminho.