Uma das teorias mais interessantes nas mídias sociais é o grafo social. Explicando rapidamente, o grafo social são as relações que você cria dentro das redes sociais que utiliza. O problema é que cada uma das redes sociais tem seu próprio grafo e não se conversam. Iniciativas como o OpenSocial, OpenID, entre outras, tentam de alguma forma compartilhar o grafo social por diversas redes.

O Power.com é um serviço brasileiro que consegue, guardadas as devidas proporções, integrar de forma interessante algumas redes sociais mais utilizadas. Antes restrita ao Orkut, recentemente ganhou outras redes como o Facebook e o MySpace. Dentro do serviço, após registrar os logins e senhas das diversas redes que o Power é compatível, é possível postar, ler e interagir em todas elas sem sair do domínio power.com.

A grande vantagem é poder interagir em vários lugares da web ao mesmo tempo de forma rápida, descartando a necessidade de visitar individualmente cada um dos serviços. Seria algo mais ou menos como um agregador de redes sociais. Quem está acostumado a ler na grande rede sabe que outro software tem funcionalidade parecida, só que para feeds em geral, o agregador de RSS.

Um dos problemas apontados pelo Techcrunch é que possivelmente o Power usa de formas não oficiais de acesso aos dados em uma ou outra rede. Em geral isso não é um problema, mas pode acontecer de uma mudança no Orkut, por exemplo, obrigar os usuários que acessam através do Power.com a entrar diretamente pelo Orkut durante algum tempo, perdendo a efetividade de agregador do serviço.

O site faz sucesso. Tem cerca de 5 milhões de usuários registrados, o que é um número expressivo, qualquer que seja seu parâmetro. Creio que o caminho para crescer é acrescentar novos serviços. Assim será possível conquistar mais e mais usuários mundo afora.