* Por Renato Alves

Desde o começo do ano temos visto bons movimentos no que diz respeito ao aumento de vagas de trabalho nos Estados Unidos. Segundo o Departamento do Trabalho, por meio do relatório Payroll, em abril a economia norte-americana abriu 390 mil postos de trabalho fora do setor agrícola e em maio esse número superou as expectativas. Apesar da escassez de trabalhadores à procura de oportunidades, o que abre portas para profissionais de outros países, os empregadores conseguiram adicionar vagas. Outro levantamento, também do Departamento do Trabalho, aponta que há quase duas vagas para cada candidato.

Agora se considerarmos  a taxa de desemprego do país, observamos que ela se manteve em 3,6%, ainda maior do que era previsto, mas no menor nível desde fevereiro de 2020. Um ponto que chama muito a atenção é a inflação que o país vive no momento, o patamar de 8% já não era visto pelo menos há quatro décadas. E por mais que o aquecimento das vagas seja uma boa notícia, traz uma preocupação de que isso gere uma maior pressão inflacionária. O banco central americano, conhecido como Federal Reserve, tem elevado os juros para conseguir controlar a disseminação dos preços, eles já registram um aumento inimaginável nos últimos 22 anos.

Afinal, por que isso tudo afeta diretamente os investidores? Esse setor também tem sofrido com a elevação das taxas de juros e se tornou um mercado totalmente volátil. Acreditamos que daqui para frente não veremos mais investimentos como antes, não teremos mais dinheiro a toda prova para qualquer empresa que busca essa ajuda. Eles serão certeiros e só vão investir naqueles que realmente conseguirão trazer lucro diante de um cenário incerto. A prova disso é a grande queda de empresas gigantes como por exemplo, Apple, Google e Amazon, antes eram as peças chave da bolsa de Nova York e hoje tem colocado os Estados Unidos em alerta pela queda em seus painéis. 

Vivemos em tempos difíceis. O que podemos tirar disso tudo é a oportunidade de profissionais de outros países, como o Brasil, irem aos Estados Unidos para suprir a necessidade do mercado. Precisamos ser inteligentes e buscar novas oportunidades. Não sabemos até quando tudo isso vai durar, mas sabemos que não vai parar por aí. Vários locais têm enfrentado problemas e só aqueles que conseguirem se destacar vão manter forças. Pense nisso!


Renato Alves é Diretor de Expansão da Bicalho Consultoria Legal, empresa especializada em migração, internacionalização de negócios e franquias.