A Microsoft e o Ministério da Educação (MEC) firmaram um acordo de cooperação para oferecer o Office 365 Educacional – versão A1 – que inclui o Teamspara todas as secretarias municipais, estaduais, institutos e universidades federais. O objetivo é garantir que todos os alunos e professores do setor público do país, estimados em mais de 38 milhões de brasileiros, tenham acesso à plataforma gratuitamente, oferecendo diversos recursos para o processo de ensino-aprendizagem mediado por tecnologia, incluindo a possibilidade de ensino híbrido, reflexo do novo cenário educacional após a pandemia de Covid-19.

O Office 365 Educacional A1 é gratuito e funciona na nuvem, possibilitando um ambiente de aprendizagem online, colaborativo e que pode ser realizado em qualquer lugar e em diferentes dispositivos. Ele auxiliará na transformação digital das mais de 130 mil escolas públicas espalhadas pelo território brasileiro, servindo de apoio para as instituições adequarem a ferramenta à realidade do estudante.

“A Microsoft acredita que a tecnologia é uma importante ferramenta de apoio à educação. Com este acordo iremos beneficiar instituições de ensino e estudantes de todo o País com acesso a plataformas e softwares como Word, Excel, PowerPoint, OneNote e Outlook, que já se tornaram exigências no mercado de trabalho. Somadas ao Microsoft Teams, que é utilizado por milhões de estudantes e professores no Brasil e em diversas outras regiões do mundo, será possível criar um ambiente colaborativo para o desenvolvimento de aulas no formato remoto ou híbrido e estimular o trabalho em grupo entre os estudantes”, afirma Alessandra Karine, vice-presidente de Vendas do Setor Público, Saúde e Educação da Microsoft Brasil.

A parceria também impulsionará a implementação das ações do Programa de Inovação Educação Conectada (Piec), do Ministério da Educação, que tem o objetivo de apoiar a universalização do acesso à internet de alta velocidade, por via terrestre e satelital, e fomentar o uso de tecnologia digital na Educação Básica. O Programa foi elaborado com quatro dimensões: visão, formação, recursos educacionais digitais e infraestrutura que se complementam e devem estar em equilíbrio, para que o uso de tecnologia digital tenha efeito positivo na educação.

“O grande desafio da educação brasileira reside na equalização do ensino e acesso ao contexto digital. Atualmente, agravado pela pandemia. Ao mesmo tempo que precisamos nos preocupar com infraestrutura básica estrutural e conectividade, não podemos nos furtar a gerar resultados rápidos em sequência para aqueles que avançaram e continuam avançando, sendo capazes de recepcionar a jornada digital no ciclo de aprendizagem. Estamos buscando consolidar uma visão de transformação digital vertical do ensino, desde a base da conectividade, passando pela gestão acadêmica e informacional, alcançando novas experiências e habilidades digitais, incluindo a inovação no ensino”, afirma André Castro, Subsecretário de Tecnologia da Informação e Comunicação do Ministério da Educação.