* Por Jéssica Lima

É natural que momentos de crise apresentem oportunidades de negócio, durante uma pandemia global não foi diferente. Segundo o último mapeamento das Healthtechs brasileiras, lançado pela Associação Brasileira de Startups (Abstartups) em parceria com a Deloitte, 45% das startups do segmento de saúde surgiram entre 2019 e 2021.

Essas oportunidades são desafios encontrados pela sociedade em um cenário de isolamento social, mas também são novas necessidades descobertas exclusivamente graças a essa nossa nova realidade. Por isso, separei alguns dados do mapeamento nos mostram que essa onda não será passageira.

No último ano, 57% das healthtechs mapeadas receberam investimentos e 46% estão em fase de tração e escala. Entre as startups que não receberam investimentos ainda,  47%  já estão se preparando para esse momento.

Metade das startups são B2B2C, ou seja, desenvolvem soluções para outras empresas que vendem soluções para o consumidor final e mais de 45% tem SaaS como modelo de negócio. As categorias que mais aparecem são Gestão (27,91%) e telemedicina (16,74%).

Esses dados mostram o potencial de crescimento das healthtechs diante do cenário atual. 

Alguns exemplos perfeitos de como o setor ainda vai se beneficiar das novas demandas nascidas na pandemia são a busca por atendimento médico virtual, realizações de exames domiciliares e outras soluções que reduzem o tempo gasto com saúde. E isso é só a ponta do iceberg de um segmento que apresenta as mais diversas oportunidades. É possível encontrar desde startups que facilitam a gestão em hospitais e até empresas que usam tecnologia para tratamento de doenças.

Alguns mercados não devem retornar à sua demanda anterior e é possível dizer que o segmento de healthtechs  provavelmente é um deles.


Jessica Jéssica Lima é formada em publicidade e propaganda, e somou sua paixão por escrever com outras habilidades para mergulhar no universo do marketing digital. Faz parte do time de marketing da  Associação Brasileira de Startups (Abstartups), ajudando a divulgar histórias de inovação de todo o País.