Nesta semana, o valor de mercado da Apple teve uma queda de US$ 350 bilhões (R$ 1,8 trilhões de acordo com a cotação atual do dólar). Com isso, a empresa passa a valer US$ 2,37 trilhões, perdendo o seu status de empresa mais valiosa do mundo para a Saudi Aramco, produtora de petróleo e gás, localizada na Arábia Saudita, que agora vale cerca de US$ 2,43 trilhões.

Um dos fatores que contribuíram com a queda da valorização da Apple que viu suas ações terem uma queda de mais de 17% é a venda em massa de ações de empresas de tecnologia, já que os investidores estão buscando ativos menos arriscados.

Em seu último balanço anual, a Saudi Aramco diz que “investe no crescimento, expandindo seu foco no hidrogênio azul e na captura de carbono, uma vez que visa o papel de fornecedor crítico de energia segura e acessível com emissões mais baixas.” Em 2021, a companhia teve o lucro líquido de US$ 49 bilhões, e um índice de alavancagem de 14%. 

As ações da Saudi subiram 27%, impulsionadas pelo aumento dos preços do petróleo, que este ano bateram recordes — e a Arábia Saudita é o maior produtor da Organização dos Países Exportadores de Petróleo. Além disso, uma das motivações da elevação foi a reabertura das economias após a suspensão das restrições impostas pela Covid-19 e as preocupações com interrupções no fornecimento do item devido a invasão da Ucrânia pela Rússia, guerra que já dura quase três meses.