A Plugify, fintech de aluguel e gestão de equipamentos de TI, captou R$ 120 milhões por meio do lançamento de um Fundo de Investimento em Direitos Creditórios (FIDC). O objetivo da operação é financiar a aquisição de equipamentos para atender clientes novos e atuais. Essa é a primeira captação de um FIDC exclusivamente voltado para securitização de recebíveis de aluguel de equipamentos de TI no Brasil.

Alexandre Gotthilf, cofundador e CEO da startup, ressalta que “assim como as nossas mais recentes movimentações, o FIDC faz parte da estratégia da Plugify de ampliação da oferta de serviços por meio de importantes parcerias. Com esse investimento, nosso objetivo é levar o melhor serviço aos clientes, bem como ampliar a nossa participação de mercado”.

Atualmente, a Plugify atende desde startups até grandes empresas com milhares de desktops, notebooks e smartphones locados. O objetivo é simplificar o TI e aumentar a produtividade das empresas por meio do aluguel de equipamentos, logística integrada e sua plataforma de gestão self service de hardwares, softwares e pessoas.

A operação contou inicialmente com o aporte de R$ 20 milhões por um FIDC Warehouse, estratégia usada pela Milenio Capital, antes que o FIDC Plugify Tech I, como é chamado a estrutura final, de R$ 100 milhões, ficasse pronta. 

“Estamos muito felizes com a parceria com a Plugify, pois ao combinar nossa expertise e relacionamentos, pudemos adicionar valor e inteligência à operação, possibilitando os recursos necessários para que a fintech ganhe ainda mais tração. A Milenio Capital investiu nas cotas subordinadas e reuniu todos os investidores de cota C alavancada, com grandes nomes do mercado. Esse deal reforça nossa capacidade de conectar investidores e empresas brasileiras, em um ecossistema de oportunidades sólidas, com inteligência, controle e segurança, e o nosso compromisso de enxergar o potencial dos negócios e seus impactos no futuro”, comemora o sócio da Milenio, Gustavo Ahrends.

Entre os investidores do FIDC Plugify Tech I, estão grandes players do mercado, como Angá, Augme, Milenio Capital, Polo, Prada, Quasar, TAG e Verde. A Porto Seguro, por sua vez, anunciou no início deste ano a aquisição de 10% de participação na Plugify. Gotthilf pontua, ainda, que com o FIDC, a expectativa é que a receita da startup, bem como sua base de clientes triplique, enquanto o número de funcionários deve duplicar.

*Foto em destaque: Alexandre Gotthilf e Paula Mendes Caldeira; Fundadores da Plugify


Quer acompanhar de perto todos os investimentos no ecossistema de startups? Siga as redes sociais Startupi e acesse nosso ranking de investimentos do mês.