A Voltz, montadora brasileira de motos elétricas, lançou o Miles, triciclo elétrico de fabricação e montagem 100% brasileira. Inicialmente o veículo será destinado apenas a empresas e indústrias que desejam transportar cargas e a compra será feita exclusivamente sob encomenda.

A novidade chegará ao mercado com preços a partir de R$ 32 mil e a montagem vai ser realizada inteiramente na nova fábrica da Voltz em Manaus, que será oficialmente inaugurada no final de maio. O triciclo Miles que está em fase de teste comporta duas baterias, mas o veículo poderá comportar até seis baterias, cada uma com capacidade de até 50km, e poderá entregar até 300 quilômetros de autonomia.

A velocidade máxima que o Miles atinge é de até 55 quilômetros por hora, e o tempo de recarga das baterias é de até cinco horas. Cada bateria conta com uma vida útil de até 1000 ciclos e, após esse tempo, ela tem a capacidade reduzida a 75%. O preço médio de uma bateria para eventual troca é de R$ 5 mil. O novo veículo, que é automático, conta com uma garantia de dois anos.

De acordo com o CEO da Voltz, Renato Villar, os veículos elétricos da montadora não precisam de revisão programada, assim como não há a obrigação do pagamento de taxas a cada ano ou quilometragem. “No caso do Miles, recomendamos apenas a troca de peças que apresentem desgastes, como pastilha de freio ou amortecedor”, pontua. Para conduzir, o piloto precisa ter uma habilitação de categoria A – igual a moto – e o emplacamento funciona como qualquer outro veículo, diretamente no Detran das cidades.

“O Miles foi idealizado e criado sob tecnologia de ponta. O triciclo terá chave inteligente, painel LCD Smart e o usuário terá total controle na palma da mão pelo aplicativo Hello Voltz. Será possível localizar o veículo à distância, controlar a carga das baterias e a quilometragem restante com a bateria em uso. Além disso, será possível ligar e desligar o veículo à distância, assim como saber eventuais falhas e histórico de uso. O Miles é um veículo totalmente ecológico, sustentável, utilizando energia limpa e barata”, enfatiza Villar.