A Infleet, logtech baiana, recebeu aporte de R$ 2,6 milhões. O recurso é liderado pela DOMO Invest, Bossanova, Américo Pereira Filho (Ex-CEO da Fedex e membro do conselho da Sequoia) e Yves Nogueira.

O aporte será empregado em tecnologia para análise de dados, marketing e ações voltadas para a educação, consultoria e treinamento do setor de logística. Em menos de um ano, a plataforma dobrou o time e aumentou o faturamento em mais de 200%. Só no período de janeiro a abril, a logtech apresentou crescimento de 65% e a estimativa é chegar a 150% em 2022. 

Com início das operações em 2018, é um hub integrador de soluções para frotistas e foi fundado pelos engenheiros de formação, Victor Cavalcanti, Lucas Correia, Vitor Reis e Henrique de Amorim. Atualmente, já são mais de 240 clientes e a previsão é terminar o ano com uma carteira de 400 e aumentar o time de vendas e tecnologia.

“Ganhamos espaço quando percebemos que o problema central estava nos desperdícios, não identificados, como gastos com combustível e manutenção, além da dificuldade latente que os gestores tinham (e ainda têm) de localizar informações relevantes e estratégicas em planilhas”, contextualiza Victor Cavalcanti, CEO e cofundador da Infleet.

Com a adoção da ferramenta da startup, é possível reduzir, em média, até 25% os custos operacionais dos frotistas. “É a única plataforma capaz de integrar a visão operacional com monitoramento e telemetria e gestão de custos em um único sistema. A solução permite tomar decisões baseada em dados integrados de monitoramento, comportamento do motorista, custos de combustível, manutenção e despesas gerais sem a necessidade de relatórios complexos”, explica Cavalcanti.

A forma de monetização do negócio é por meio do modelo de assinatura com pagamento mensal por veículo adicionado na plataforma, além de treinamento e consultoria. “Trabalhamos com mercados bem diversificados como distribuição, transportadoras, telecom, hospitalar, engenharia, saneamento, energia. Na pandemia, foi possível prospectar clientes em mercados que não foram impactados, como coleta de resíduos e distribuição de alimentos e bebidas”, ressalta o empreendedor. 

Além de trazer soluções que ajudam o frotista, o sistema segue alinhado à cultura de sustentabilidade por meio de redução de emissão de gases poluentes dos veículos, diminuição de desgastes de pneus, menos consumo de combustíveis, auxilia na segurança dos veículos por meio de monitoramento em tempo real.

“O gestor de frotas consegue reagir de maneira mais rápida às ineficiências da operação, como corrigir em tempo real o modo de condução do motorista, ociosidade de motor, desvios de combustível, gastos de manutenção desnecessários, entre outros. A plataforma permite aos gestores a realização de benchmarks periódicos da operação”, garante Lucas Correia, fundador e CPO da Infleet, e que já passou por empresas como Ford e Bosch.

Os próximos passos da logtech incluem o aprimoramento da análise de dados para facilitar o trabalho do gestor de frotas com a emissão de relatórios automáticos e informações preditivas, investimento em educação e treinamento, além de uma rodada de investimento Série A. “A ideia é integrar com os principais sistemas do mercado, englobando todos os serviços relacionados à gestão de frotas como checklist, pneus, locadoras, seguros, oficinas e montadoras”, conclui Cavalcanti.

* Foto destaque: Victor Cavalcanti, Lucas Correia, Vitor Reis e Henrique de Amorim, fundadores da Infleet


Quer acompanhar de perto todos os investimentos no ecossistema de startups? Siga as redes sociais Startupi e acesse nosso ranking de investimentos do mês.