O iFood, em parceria com a XPrize – ONG que desenvolve competições para soluções sustentáveis – está levantando US$ 20 milhões para financiar custos e premiações de uma competição que estimulará inovações para o desenvolvimento de embalagens descartáveis de alimentos, com o objetivo de reduzir o impacto ambiental. O concurso das embalagens sustentáveis será focado na pesquisa e desenvolvimento de produtos biodegradáveis, flexíveis e de base biológica, como sacolas plásticas e filmes PVC. As propostas devem ser sustentáveis em grande escala, seguros para o consumo humano e para o ambiente.

O prêmio total será de US$ 10 milhões para as equipes selecionadas por juízes terceiros com base nas diretrizes do prêmio. O primeiro colocado receberá US$ 6 milhões; o segundo, US$ 2 milhões; e o terceiro, US$ 1 milhão. Além disso, também será concedido US$ 1 milhão para os Milestone Prizes – prêmios concedidos para apoiar soluções de dimensionamento aos participantes que cumpriram metas ao longo da competição.

“Só a inovação possibilita a criação de soluções para diminuir o impacto das empresas no meio ambiente e combater as mudanças climáticas. Nos unimos com a XPrize porque é um player importante nesse cenário. Além disso, temos o desejo de acompanhar de perto o desenvolvimento de soluções sustentáveis que possam ser replicadas em larga escala para todo o mundo”, comenta João Barreto, diretor de planejamento e sustentabilidade do iFood.

Essa parceria é um dos esforços do iFood Regenera, plano de impacto ambiental positivo da empresa, que busca erradicar a poluição plástica de suas operações de entrega e torná-la neutra em emissão de carbono até 2025. A foodtech também conta com projetos relevantes para as áreas de inclusão alimentar e educação.

“Hoje, muitas empresas já perceberam e outras começam a perceber que devem desempenhar um papel além de seus negócios, atuando diretamente na solução de problemas globais. Portanto, a agenda ESG tem sido e será cada vez mais abordada. Precisamos estimular as empresas a investir no próximo desafio, além de incentivar que universidades e startups brasileiras se inscrevam na competição, para o Brasil fazer parte da liderança no desenvolvimento de projetos de pesquisa que vai ajudar a reduzir o uso de plástico e garantir um futuro mais promissor para o nosso meio ambiente”, explica Fabrício Bloisi, CEO do iFood e membro do conselho de inovação da XPrize.